Achieve Mastery of Medical Concepts

Study for medical school and boards with Lecturio

Glândula Tiroide

A glândula tiroide é uma das maiores glândulas endócrinas do corpo humano. A glândula tiroide é uma glândula vermelho-acastanhada altamente vascularizada, localizada no compartimento visceral da região anterior do pescoço, abrangendo as regiões entre as vértebras C5 e T1 e envolvendo anterolateralmente a traqueia. Os lobos esquerdo e direito da glândula tiroide estão conectados por um istmo central. As hormonas tiroideias (tiroxina e triiodotironina) e a calcitonina regulam processos importantes no metabolismo, crescimento, função cardíaca e homeostase do cálcio.

Última atualização: Apr 21, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Desenvolvimento

Origens embriológicas

  • Tem origem no divertículo da tiroide
  • Desenvolve-se durante a 3ª a 4ª semana de gestação
  • Desenvolve-se a partir da endoderme que reveste os arcos faríngeos
  • Composto por:
    • 1 primórdio medial da tiroide
    • 2 primórdios laterais da tiroide

Primórdio medial da tiroide

  • Estrutura de linha média única
  • Forma as células foliculares na glândula tiroide
  • Origina-se da endoderme entre a 1ª e a 2ª bolsa faríngea, num ponto mais tarde conhecido como foramen ceco
  • A endoderme aumenta de tamanho e forma o divertículo da tiroide.
  • O divertículo da tiroide migra inferior e profundamente no pescoço, formando o ducto tiroglosso.
  • Bifurca-se para formar os lobos direito e esquerdo
  • Funde-se com os primórdios laterais da tiroide, formando a glândula tiroideia
  • Ducto tiroglosso:
    • Tipicamente obliterado e reabsorvido
    • Pode resultar num lobo tiroideu piramidal que se estende até o pescoço
    • Os quistos do ducto tiroglosso cheios de líquido podem formar-se se o ducto não regredir completamente.
Desenvolvimento do divertículo da tireoide

Formação e migração do divertículo da tiroide

Imagem por Lecturio.

Primórdio lateral da tiroide

  • Estruturas laterais em número par
  • Dá origem às células C da glândula tiroide
  • Também chamados corpos ultimobranquiais
  • Origina-se da endoderme do 4º arco faríngeo
  • O tecido é incorporado na glândula tiroide quando se fundem os primórdios medial e lateral.
Desenvolvimento da glândula tireóide e migração de células c dos corpos ultimobranquiais

Desenvolvimento da glândula tiroide e migração das células C dos corpos ultimobranquiais

Imagem por Lecturio.

Anatomia Geral

Características

  • Cor castanho-avermelhada
  • Estrutura em forma de H ou de borboleta
  • Nodular
  • Tamanho:
    • Dimensões: aproximadamente 4,5 cm x 1,5 cm x 1 cm
    • Peso: aproximadamente 10-20 gramas
  • Regiões:
    • Lobos direito e esquerdo
    • Istmo: conecta os lobos direito e esquerdo
    • Lobo piramidal: variável, muitas vezes ausente. Estende-se do istmo em direção ao osso hioide
  • Rodeado pela fáscia pré-traqueal:
    • Com o esófago, traqueia e faringe
    • Está firmemente no seu lugar pelo laringoesqueleto
  • Estão associadas 2 glândulas paratiroides à face posterior de cada lobo (4 glândulas paratiroides no total).
(a) anterior e (b) vistas posteriores da glândula tireóide

Vistas anterior (à esquerda) e posterior (à direita) da glândula tiroide

Imagem por Lecturio.

Localização

  • Anteriormente às vértebras C5 e T1
  • Imediatamente inferior à laringe
  • Circunda a traqueia anterolateralmente
Tireóide em relação à traqueia

A glândula tiroide e a sua localização em relação à traqueia

Imagem por Lecturio.

Limites, anexos e anatomia associada

  • Superior ao istmo: cartilagem cricóide
  • Anterior:
    • Músculos esternocleidomastoideus
    • Músculos infra-hioideus:
      • Omo-hioideu
      • Esterno-hioideu
      • Esternotiroideu
  • Posterior:
    • Glândulas paratiroides
    • Posteromedial:
      • Traqueia
      • Esófago
    • Posteroinferior ao lobo esquerdo: ducto torácico
  • Lateral: bainha carotídea
  • Ligamentos:
    • Ligamento suspensor anterior: da face medial superior da tiroide à cartilagem cricoide e à cartilagem tiroideia
    • Ligamento suspensor posterior (ligamento de Berry): da região posteromedial da tiroide à cartilagem cricoide e1º e 2º anéis traqueais
  • Nervos próximos (que podem ser lesados na tiroidectomia):
    • Nervo laríngeo superior:
      • Inerva os músculos cricotiroideus da laringe
      • Acompanha a artéria tiroideia superior até aproximadamente a 1 cm da glândula
    • Nervo laríngeo recorrente:
      • Inerva todos os músculos intrínsecos da laringe, exceto o músculo cricotiroideu.
      • Localizado no sulco traqueoesofágico

Corte transversal do pescoço exibindo os lóbulos e o istmo da glândula tireoide

Corte transversal do pescoço com os lóbulos e o istmo da tiroide

Imagem por Lecturio.

Vídeos recomendados

Anatomia Microscópica e Função

Folículos tiroideus

Os folículos tiroideus são as unidades estruturais e funcionais das glândulas tiroides. São compostos por uma camada epitelial simples que envolve uma cavidade preenchida com coloide.

  • Células epiteliais foliculares:
    • Apresentam recetores para a hormona estimulante da tiroide (TSH)
    • Produção das hormonas tiroideias:
      • Triiodotironina (T3)
      • Tiroxina (T4)
    • Produção de coloide
  • Coloide:
    • Produzido pelas células epiteliais foliculares
    • Contém iodo-tiroglobulina, o precursor da tiroglobulina
    • Cora de rosa na coloração de H&E
  • Funções das hormonas tiroideias:
    • Promoção do consumo de oxigénio tecidual
    • Aumento da produção de catecolaminas
    • Promoção de:
      • Vias catabólicas celulares
      • Produção de calor
      • Disponibilidade de energia: glicólise, glicogenólise, oxidação de ácidos gordos, ciclo de Krebs e síntese de proteínas
    • Inibição da síntese de glicogénio, gliconeogénese e deposição de gordura
    • Ajudar na regulação do crescimento dos ossos longos e na maturação neuronal
Estrutura histológica da glândula tireóide

Estrutura histológica da glândula tiroide

Imagem por Lecturio.

Células C

Também conhecidas como células claras ou parafoliculares.

  • Células de coloração pálida
  • Apresentam recetores sensíveis ao cálcio
  • Secretam calcitonina
  • Função da calcitonina: ↓ níveis séricos de cálcio
    • Inibe a atividade dos osteoclastos e a reabsorção óssea
    • Inibe a hormona da paratiroide e a vitamina D
Epitélio não neoplásico da tireoide

Epitélio não neoplásico da tiroide

Imagem : “Non-neoplastic thyroid epithelium” pelo Departamento de Imunoendocrinologia, Cátedra de Endocrinologia, Universidade Médica de Lodz, Lodz, Polônia. Licença: CC BY 4.0

Vídeos recomendados

Neurovasculatura

Vascularização arterial

A vascularização da tiroide apresenta múltiplas anastomoses, tanto ipsilateral quanto contralateralmente.

  • Artéria tiroideia superior:
    • Vasculariza a parte superior da tiroide
    • Origem na artéria carótida externa (é o seu 1º ramo)
    • Penetra a tiroide na sua face anterior
  • Artéria tiroideia inferior:
    • Vasculariza a metade inferior da tiroide
    • Origem no tronco tirocervical (um ramo da artéria subclávia)
    • Penetra a tiroide na sua face posterior
  • Artéria ima / média / do istmo da tiroide:
    • Vasculariza o istmo e a parte inferior da tiroide
    • Origem variável: pode ser do tronco braquiocefálico, carótida comum direita, subclávia ou outros

Drenagem venosa

  • Veias tiroideias superior e média → veia jugular interna
  • Veias tiroideias inferiores → veia braquiocefálica
Suprimento sanguíneo da tireoide

Vascularização da glândula tiroide

Imagem por BioDigital, editada por Lecturio

Drenagem linfática

A glândula tiroide drena para vários gânglios diferentes, incluindo:

  • Gânglios periglandulares
  • Gânglios pré-laríngeos, pré-traqueais e paratraqueais ao longo do nervo laríngeo recorrente
  • Gânglios mediastínicos

Inervação

A tiroide é inervada principalmente pelo sistema nervoso autónomo (SNA).

  • Inervação simpática:
    • Gânglios simpáticos cervicais superior, médio e inferior
    • A sua ativação pode precipitar hipertiroidismo.
  • Inervação parassimpática:
    • Fibras do nervo vago
    • A sua ativação pode precipitar hipotiroidismo.
Inervação da tireoide

Inervação da glândula tiroide

Imagem por BioDigital, editada por Lecturio

Relevância Clínica

Altos níveis de hormonas tiroideias

  • Hipertiroidismo: excesso de triiodotironina (T3) e tiroxina (T4). As características clínicas do hipertiroidismo são principalmente devido ao aumento da taxa metabólica do corpo. Achados comuns incluem taquicardia, dificuldade para dormir e perda ponderal. Diagnostica-se pela determinação dos níveis de TSH, T4 e T3 livres. Geralmente, os níveis de TSH serão baixos devido à inibição por feedback negativo na hipófise, devido aos níveis elevados de T4 e T3.
  • Doença de Graves: a causa mais comum de hipertiroidismo. É uma doença autoimune caracterizada por uma reação de hipersensibilidade tipo II, na qual os anticorpos estimulam a tiroide ligando-se aos recetores de TSH.

Deficiência das hormonas tiroideias

  • Hipotiroidismo: deficiência de T3 e T4. As características clínicas do hipotiroidismo devem-se principalmente ao acúmulo de substâncias da matriz e à diminuição da taxa metabólica. Os sintomas comuns incluem pele seca, fadiga, ganho ponderal e obstipação.
  • Tiroidite de Hashimoto: a causa mais comum de hipotiroidismo em regiões com insuficiência de iodo. A tiroidite de Hashimoto é uma doença autoimune que provoca bócio devido à destruição da tiroide.

Doenças inflamatórias

  • Tiroidite: inflamação da glândula tiroide. A sua etiologia é variada, e inclui inflamação autoimune (a mais comum), infeção bacteriana ou vírica, ou uma reação induzida por drogas. A tiroidite pode levar tanto ao hipertiroidismo quanto ao hipotiroidismo. A inflamação inicial da tiroide pode levar à libertação de hormonas tiroideias pré-formadas e causar hipertiroidismo subsequente. Uma vez consumida a hormona tiroideia pré-formada, o indivíduo pode apresentar sinais de hipotiroidismo.
  • Bócio e nódulos da tiroide: uma glândula tiroide aumentada devido à hipo ou hipersecreção de hormonas tiroideias, ou inflamação. O bócio e os nódulos da tiroide podem apresentar-se isolados (bócio nodular solitário) ou como múltiplos nódulos em diferentes partes da glândula (bócio multinodular).

Neoplasias

Cancro da tiroide: um cancro incomum que responde bem ao tratamento, se detetado precocemente. Surge das células foliculares ou parafoliculares dentro da tiroide. Existem vários subtipos, dependendo da célula de origem e das mutações que ocorrem: células foliculares mutantes podem levar a carcinomas papilares, foliculares e anaplásicos, enquanto as mutações das células C produtoras de calcitonina podem resultar em carcinomas medulares.

Referências

  1. Dorion, D. (2017). Thyroid anatomy. In Medscape. Retrieved August 8, 2021, from https://emedicine.medscape.com/article/845125-overview 
  2. Lyden, M.L., Wang, T.S., and Sosa, J.A. (2021). Surgical anatomy of the thyroid gland. In UpToDate. Retrieved August 12, 2021, from https://www.uptodate.com/contents/surgical-anatomy-of-the-thyroid-gland

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

Details