Achieve Mastery of Medical Concepts

Study for medical school and boards with Lecturio

Faringe: Anatomia

A faringe é um componente do sistema digestivo que se localiza posteriormente à cavidade nasal, cavidade oral e laringe. A faringe pode ser dividida em orofaringe, nasofaringe e laringofaringe. Os músculos faríngeos desempenham um papel fundamental nos processos vitais, como a respiração, a deglutição e a fala. Os músculos da faringe recebem inervação do nervo vago e do nervo glossofaríngeo para impulsionar o alimento da cavidade oral para o esófago.

Última atualização: 2 May, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Desenvolvimento

A formação do aparelho faríngeo (branquial) ocorre durante a 4ª e 5ª semanas de desenvolvimento.

O aparelho faríngeo consiste em:

  • Arcos
  • Bolsas
  • Fendas
  • Membranas que contribuem para o desenvolvimento da cabeça e pescoço

A musculatura faríngea desenvolve-se a partir do 3º, 4º e 6º arcos:

  • O 3º arco faríngeo dá origem ao músculo estilofaríngeo.
  • Os demais músculos (grupos constritores e longitudinais) emergem do 4º e 6º arcos.
  • É importante notar que o 5º arco faríngeo involui no início do desenvolvimento e não contribui para o desenvolvimento fetal.
A faringe surge dos arcos faríngeos

A faringe surge dos arcos faríngeos:
As bolsas faríngeas estão localizadas na parte interna da faringe (contorno amarelo), enquanto que as fendas faríngeas estão localizadas na parte externa da faringe (contorno verde). Os músculos da faringe são derivados do 4º e 6º arcos faríngeos.

Imagem por Lecturio.

Anatomia Geral

Características

  • 5 polegadas (12 cm) de comprimento
  • Estende-se da base do crânio até a borda inferior da cartilagem cricoide anteriormente e até a borda inferior da vértebra C6 posteriormente
  • A faringe é mais larga, (aproximadamente 5 cm) oposta ao hioide e mais estreita (aproximadamente 1,5 cm) na sua extremidade inferior, onde é contínua com o esófago.
Visão sagital da cabeça e pescoço mostrando a localização da faringe e seus marcos anatômicos

Visão sagital da cabeça e pescoço a demonstrar a localização da faringe e dos seus marcos anatómicos

Imagem: “2303 Anatomy of Nose-Pharynx-Mouth-Larynx” por OpenStax College. Licença: CC BY 3.0, editada por Lecturio.

Divisões

  • Nasofaringe:
    • Da base do crânio até a superfície superior do palato mole
    • Contém adenoides na parede posterior
    • Tem função respiratória, pois é a extensão posterior das cavidades nasais
    • O nariz abre-se na nasofaringe através de 2 coanas.
  • Orofaringe:
    • Tem função digestiva
    • Estende-se do palato mole até a borda superior da epiglote
    • Contém as amígdalas palatinas nas paredes laterais
    • Limites:
      • Palato mole superiormente
      • Base da língua inferiormente
      • Arcos palatoglosso e palatofaríngeo lateralmente
  • Laringofaringe:
    • Região caudal da faringe
      • Início: borda superior da epiglote
      • Extremidades: porção inferior da cartilagem cricoide
      • Conduz ao esófago
    • Situa-se posteriormente à laringe → conecta-se através da entrada laríngea na parede anterior
    • Os recessos piriformes (também denominados seios) são pequenas cavidades em cada lado da abertura da larínge.
Vista sagital da cabeça e pescoço exibindo a divisão da faringe

Vista sagital da cabeça e pescoço a demonstrar a divisão da faringe

Imagem: “2411_Pharynx” por Phil Schatz. Licença: CC BY 4.0

Músculos da faringe

Os músculos constritores constituem a camada circular externa do músculo. Durante a deglutição, os músculos constritores contraem-se para impulsionar o bolo alimentar inferiormente.

  • Músculo constritor superior
  • Músculo constritor médio
  • Músculo constritor inferior

Os músculos longitudinais constituem a camada muscular interna e desempenham um papel na elevação da faringe e da laringe durante a deglutição e a fala.

  • Palatofaríngeo
  • Estilofaríngeo
  • Salpingofaríngeo
Tabela: Músculos constritores da faringe
Músculo Origem Inserção Neurovasculatura
Músculo constritor superior
  • Rafe pterigomandibular
  • Placa pterigoide medial
  • Extremidade posterior da linha milo-hioideia da mandíbula
  • Tubérculo faríngeo do osso occipital
  • Rafe faríngea
Vascularização:
  • Artéria faríngea ascendente
  • Ramo amigdalino da artéria facial

Inervação:
Plexo faríngeo do nervo vago
Músculo constritor médio
  • Osso hioide
  • Ligamento estilo-hioideu
Rafe faríngea Vascularização:
Artéria faríngea ascendente

Inervação:
Ramo faríngeo do nervo vago (NC X) e plexo faríngeo
Músculo constritor inferior
  • Linha oblíqua da cartilagem tiroide
  • Cartilagem cricoide
A parte cricofaríngea circunda a junção faringoesofágica sem formar rafe. Vascularização:
  • Ramo faríngeo da artéria tiroideia ascendente
  • Ramos musculares da artéria tiroideia inferior

Inervação:
Ramo faríngeo do nervo vago (NC X) e plexo faríngeo
NC: nervo craniano
Tabela: Músculos longitudinais da faringe
Músculo Origem Inserção Neurovasculatura
Palatofaríngeo
  • Borda posterior do palato duro
  • Aponevrose palatina
Borda posterior da lâmina da cartilagem tiroide, faringe lateral e esófago Vascularização:
Artéria facial

Inervação:
Ramo faríngeo do nervo vago (NC X) e plexo faríngeo
Estilofaríngeo Processo estiloide do osso temporal Margem posterior da cartilagem tiroide Vascularização:
Ramo faríngeo da artéria faríngea ascendente

Inervação:
Nervo glossofaríngeo
Salpingofaríngeo Parte cartilaginosa da trompa de Eustáquio Bordas posterior e superior da cartilagem tiroide com o palatofaríngeo Vascularização:
Artéria faríngea ascendente
Inervação:
Nervo glossofaríngeo (NC IX)
NC: nervo craniano
Os músculos constritores e longitudinais da faringe

Músculos constritores e longitudinais da faringe

Imagem por Lecturio.

Fáscia

Existem 2 camadas de fáscia faríngea:

  • Fáscia Bucofaríngea:
    • Fina
    • Sobre a parte externa da parede muscular
  • Fáscia faringobasilar:
    • Espessa
    • Reveste o lado interno da parede muscular
    • Fornece estrutura → ajuda a manter a permeabilidade das vias aéreas

Neurovasculatura

  • Suprimento de sangue arterial:
    • Artéria amigdalina (ramo da artéria facial)
    • Artéria lingual
    • Artéria palatina ascendente
    • Artéria palatina descendente
    • Artéria faríngea ascendente
  • As veias faríngeas unem-se para formar um plexo que drena:
    • Superiormente → plexo pterigoide (fossa infratemporal)
    • Inferiormente → veias faciais e jugulares internas
  • A linfa drena para os gânglios cervicais profundos, que incluem:
    • Gânglios retrofaríngeos
    • Gânglios paratraqueais
    • Gânglios infra-hioideus
  • Inervação a partir de ramos do:
    • Nervo vago (nervo craniano (NC X)
    • Nervo glossofaríngeo (NC IX)

Anatomia Microscópica e Função

  • Epitélio escamoso estratificado não queratinizado
  • Sem muscular mucosa e submucosa
  • O epitélio repousa sobre a lâmina própria, que contém uma espessa camada de fibras elásticas orientadas longitudinalmente (recurso útil no diagnóstico).
  • A muscular externa é composta por músculo esquelético disposto irregularmente, que representa o músculo longitudinal e os constritores da faringe.
  • Função e papel na deglutição: deglutição → os músculos esqueléticos elevadores da faringe contraem-se → a faringe sobe e expande-se → recebe o bolo alimentar → os músculos esqueléticos elevadores da faringe relaxam → os músculos constritores da faringe contraem-se → o bolo é forçado para o esófago → início do peristaltismo
O papel da faringe durante o processo de deglutição

Imagem a demonstrar o papel da faringe durante o processo de deglutição

Imagem: “2413 DeglutitionN” por OpenStax College. Licença: CC BY 3.0

Relevância Clínica

  • Faringite: inflamação da faringe. Os indivíduos afetados apresentam dor, irritação e desconforto na garganta, além de disfagia. A faringite pode resultar de infeções bacterianas ou virais. Se existir suspeita de infeção viral, o tratamento geralmente é de suporte com hidratação e uso de AINEs se dor. Se existir suspeita de infeção bacteriana, são usados antibióticos como terapêutica de primeira linha.
  • Difteria: infeção bacteriana causada por Corynebacterium diphtheriae. A marca típica da difteria é uma camada de material espesso e cinzento a cobrir a parede posterior da faringe. A eritromicina é a terapêutica de 1ª linha para a difteria; no entanto, a infeção pode ser prevenida por vacinação.
  • Divertículo de Zenker: O músculo constritor inferior da faringe subdivide-se nos músculos tireofaríngeo e cricofaríngeo. A pressão intrafaríngea pode aumentar e formar um divertículo se existir descoordenação entre a contração e o relaxamento destes 2 músculos. O divertículo serve como reservatório para a acumulação de alimentos e pode causar disfagia. Outras complicações incluem gorgolejo, aspiração, mau hálito e a presença de uma massa no pescoço.
  • Cancro da faringe: cancro dos tecidos da faringe. O cancro da faringe inclui o cancro da nasofaringe, orofaringe e hipofaringe. A maioria dos cancros da faringe são carcinomas de células escamosas. Os sintomas comuns incluem dor de garganta, dor ou dificuldade em engolir, otalgia persistente, tumefação no pescoço ou na garganta, rouquidão ou alterações na voz, hemorragias nasais, dores de cabeça, tosse com sangue, perda de peso inexplicável, mau hálito constante e rigidez da mandíbula. O cancro da faringe é tratado com resseção cirúrgica.

Referências

  1. Drake, R.L., et al. (2020). Chapter 8: Regional Anatomy, Pharynx. In Gray’s Anatomy for Students, 4th ed. Pages 1029-1041. Churchill Livingstone/Elsevier.
  2. Moore, K.L., Dalley, A.F., Agur, A.M.R. (2014). Chapter 8: Neck. In Clinically Oriented Anatomy, 7th ed. Pages 1032-1038. Lippincott Williams & Wilkins, a Wolters Kluwer business.
  3. Albahout, K. (2021). Anatomy, Head and Neck, Pharynx. Retrieved Sep 19, 2021, from https://www.statpearls.com/ArticleLibrary/viewarticle/36358
  4. Bui, T. (2021). Anatomy, Head and Neck, Pharyngeal Muscles. Retrieved Sep 19, 2021, from https://www.statpearls.com/ArticleLibrary/viewarticle/27102

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

🍪 Lecturio is using cookies to improve your user experience. By continuing use of our service you agree upon our Data Privacy Statement.

Details