Domina os Conceitos Médicos

Estuda para o curso e exames de Medicina com a Lecturio

Diuréticos Poupadores de Potássio

Os diuréticos poupadores de potássio são fármacos que atuam nas células principais dos ductos coletores para induzir a diurese, evitando a excreção de potássio. Estes diuréticos incluem 2 subclasses: bloqueadores dos canais de sódio e antagonistas da aldosterona. Como estes agentes atuam na porção distal no nefrónio, não há perda significativa de potássio associada ao seu uso. Estes agentes são normalmente usados no tratamento do excesso de mineralocorticoides, que pode ser primário (por exemplo, síndrome de Conn) ou secundário (por exemplo, estados de depleção do volume intravascular, especialmente em doentes com insuficiência cardíaca). Além disso, a espironolactona pode ser usada pelas suas propriedades antiandrogénicas em mulheres com excesso de androgénios (por exemplo, hirsutismo) e para supressão de androgénios em mulheres transgénero (homem para mulher). Estes fármacos são contraindicados em casos de hipercalemia.

Última atualização: 19 Apr, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Descrição Geral

Definição

Os diuréticos poupadores de potássio são fármacos que atuam nas células principais dos ductos coletores (DCs) para induzir a diurese que resulta na não excreção de potássio.

Diuréticos poupadores de potássio

Os diuréticos poupadores de potássio atuam nos ductos coletores do nefrónio.

Imagem por Lecturio. Licença: CC BY-NC-SA 4.0

Descrição geral dos agentes anti-hipertensivos

Tabela: Fármacos usados para tratar hipertensão
Local de ação Classe Subclasses
Fármacos renais Fármacos que afetam o SRAA
  • IECAs
  • ARAs
  • Inibidores diretos de renina
Diuréticos
  • Diuréticos tiazídicos
  • Diuréticos de ansa
  • Diuréticos poupadores de potássio
Fármacos extrarrenais Vasodilatadores diretos
  • Bloqueadores dos canais de cálcio
  • “Abridores” (openers) dos canais de potássio
  • Nitrodilatadores
  • Antagonistas da endotelina
Agentes que atuam via sistema nervoso simpático
  • Fármacos que afetam o fluxo simpático do SNC (por exemplo, clonidina)
  • Fármacos que afetam os gânglios (por exemplo, hexametónio)
  • Fármacos que afetam os terminais nervosos (por exemplo, guanetidina, reserpina)
  • Fármacos que afetam os recetores α e β

Fármacos da classe dos diuréticos poupadores de potássio

Os medicamentos desta classe incluem:

  • Antagonistas da aldosterona:
    • Espironolactona
    • Eplerenona
  • Bloqueadores dos canais de sódio:
    • Triamtereno
    • Amilorida

Estrutura Química e Farmacodinâmica

Estrutura química

  • Espironolactona e eplerenona: esteroides sintéticos
  • Triamtereno: derivado de pteridina
  • Amilorida: derivado de pirazina
Estrutura do triamtereno

Estrutura do triamtereno

Imagem: “Structure of Triamterene” por NEUROtiker. Licença: Public Domain

Mecanismo de ação (MOA, da sigla em inglês) e efeitos fisiológicos

Antagonistas da aldosterona (espironolactona, eplerenona):

  • Também denominados antagonistas dos recetores de mineralocorticoides (MRAs, da sigla em inglês)
  • MOA: liga-se ao recetor mineralocorticoide basolateral no ducto coletor como um antagonista competitivo do recetor de aldosterona, bloqueando os efeitos da aldosterona
  • Efeitos da aldosterona:
    • A aldosterona estimula a produção das seguintes proteínas nas células principais do DC:
      • Na + / K + – ATPase no lado basolateral
      • ENaC (canal de sódio epitelial) no lado do lúmen: permite a reabsorção de Na + do lúmen para as células principais
      • Canal de potássio medular externo renal (ROMK) no lado do lúmen: permite a excreção de K + na urina
    • A aldosterona estimula a reabsorção de Na + dos túbulos renais:
      • Água segue o Na +
      • Cria um gradiente elétrico negativo através do lúmen, promovendo a secreção de K + e H + na urina
  • Resultados dos antagonistas da aldosterona:
    • ↓ Reabsorção de Na + → água permanece no lúmen tubular com o Na + → diurese
    • ↓ excreção de K + → poupa potássio
    • ↓ Excreção de H + → tendência para acidose metabólica
  • Efeitos antiandrogénicos:
    • Espironolactona: efeitos antiandrogénicos significativos
      • MRA não seletivo, que também pode ligar recetores de estrogénio e progesterona → pode ↑ aromatização de testosterona em estradiol
      • ↓ Produção de testosterona
      • Liga-se aos recetores de androgénio e inibe competitivamente a testosterona e a dihidrotestosterona
      • Pode ajudar a melhorar a acne, mas também causa ginecomastia, impotência, diminuição da libido e irregularidades menstruais
    • Eplerenona:
      • Mais seletivo para o recetor mineralocorticoide, com muito menos efeitos antiandrogénicos
      • Melhor tolerado
  • Efeitos anti-inflamatórios (eplerenona em baixa dose):
    • ↓ Defeitos de perfusão miocárdica após um EAM → ↓ mortalidade cardíaca
    • Pode retardar a progressão da albuminúria em doentes diabéticos

Bloqueadores dos canais de sódio (triamtereno, amilorida):

  • Catiões que se ligam e bloqueiam diretamente os ENaCs no lado apical das células que revestem os túbulos contornados distais (DCTs) e DCs.
  • Resultados:
    • ↓ Reabsorção de Na +
    • ↓ excreção de K +
    • A água segue sempre o Na + → a água permanece com o Na + nos túbulos (ao invés de ser reabsorvida).
  • Efeitos fisiológicos:
    • A diurese resulta do efeito osmótico do Na + nos túbulos.
    • Sem perda significativa de potássio
Mecanismo de ação dos antagonistas da aldosterona e bloqueadores dos canais de sódio

Mecanismo de ação dos antagonistas da aldosterona e bloqueadores dos canais de sódio

Imagem por Lecturio. Licença: CC BY-NC-SA 4.0

Farmacocinética

  • Absorção:
    • São todos bem absorvidos por via oral.
    • O pico de atividade ocorre em cerca de 2–4 horas.
  • Metabolismo:
    • A espironolactona e o triamtereno são metabolizados em metabolitos ativos.
    • A eplerenona é metabolizada em metabolitos inativos.
    • A amilorida não é metabolizada hepaticamente.
  • Excreção: principalmente nos rins; secundariamente via bílis / fezes
Tabela: Farmacocinética dos diuréticos poupadores de potássio
Fámaco Absorção Distribuição Metabolismo Excreção
Espironolactona
  • Biodisponibilidade: cerca de 90% quando ingerido com alimentos
  • Pico de atividade: aproximadamente 2,5–4 horas
Ligação às proteínas:> 90% Metabolismo hepático rápido e extenso para metabolitos ativos
  • Urina (principalmente como metabolitos)
  • Bílis (secundária)
Eplerenona
  • Biodisponibilidade: cerca de 70%
  • Pico de atividade: 2 horas
  • VD: 42–90 L
  • Ligação às proteínas: 50%
Metabolismo hepático pelo CYP3A4 em metabolitos inativos
  • Urina (67%)
  • Fezes (32%)
  • Semi-vida: 3-6 horas
Triamtereno
  • Absorvido rapidamente
  • Biodisponibilidade: 50%
  • Pico de atividade: 3 horas
VD: 1,5 L / kg Metabolismo hepático pelo CYP1A2 em metabolitos ativos Excretado por via renal
Amilorida
  • Imediatamente absorvido
  • Pico de atividade: 3-4 horas
  • VD 350-380 L
  • Ligação às proteínas: mínima
Não metabolizado
  • Urina (50%)
  • Fezes (40%)
  • Semi-vida: 6–9 horas
VD: volume de distribuição

Indicações

Indicações gerais

Os diuréticos poupadores de potássio são mais úteis para o tratamento de edema relacionado com excesso de mineralocorticoides, que pode ser primário ou secundário. As indicações incluem:

  • Edema devido a causas primárias de excesso de mineralocorticoides:
    • Síndrome de Conn
    • Produção de hormona adrenocorticotrópica (ACTH, pela sigla em inglês) ectópica
  • Edema devido a estados de depleção do volume intravascular, que resultam num excesso secundário de mineralocorticoides:
    • Insuficiência cardíaca / pós-enfarte agudo do miocárdio (especialmente eplerenona)
    • Cirrose
    • Síndrome nefrótico
    • Hipertensão resistente (normalmente em relação a agentes anti-hipertensivos de 1ª linha)

Indicações únicas para espironolactona

A espironolactona tem indicações adicionais devido às suas propriedades antiandrogénicas:

  • Condições de hiperandrogenismo em mulheres, incluem:
    • Acne vulgaris
    • Hirsutismo
    • Síndrome de ovários poliquísticos
    • Hiperplasia adrenal congénita
  • Terapia hormonal para mulheres transgénero (homem para mulher)

Efeitos Adversos e Contraindicações

Efeitos adversos dos diuréticos poupadores de potássio

  • Anomalias hidroeletrolíticas:
    • Hipercalemia (↑ K + )
    • Acidose metabólica hiperclorémica
    • Hiponatremia (↓ Na + )
    • Hipomagnesemia (↓ Mg 2+ )
    • Hipocalcemia (↓ Ca 2+ )
    • Hipovolemia
  • Sintomas:
    • Tonturas
    • Cefaleias
    • Cãibras musculares
    • Desconforto gastrointestinal: cólicas abdominais, náuseas, vómitos, diarreia
    • Fotossensibilidade (triamtereno)
  • Efeitos adicionais específicos da espironolactona (relacionados com as suas propriedades antiandrogénicas):
    • Ginecomastia
    • Impotência e ↓ libido
    • Anomalias menstruais

Contraindicações

  • Hipercalemia
  • Doença de Addison / insuficiência adrenal
  • Anúria ou DRC grave / progressiva
  • Doença hepática grave
  • Gravidez (especialmente os antagonistas da aldosterona, que podem causar feminização de um feto masculino)

Precauções

  • Diabetes (especialmente triamtereno e amilorida)
  • Gota
  • Aleitamento

Comparação de Fármacos

Alguns dos diuréticos mais comuns incluem diuréticos tiazídicos (por exemplo, hidroclorotiazida), diuréticos de ansa (por exemplo, furosemida), inibidores da anidrase carbónica (por exemplo, acetazolamida) e diuréticos osmóticos (por exemplo, manitol).

Tabela: Comparação de diuréticos
Fármaco Mecanismo Efeito fisiológico Indicação
Diurético tiazídico: Hidroclorotiazida ↓ Reabsorção de NaCl no DCT pela inibição do cotransportador Na + / Cl
  • ↓ Pressão arterial
  • ↓ Edema
  • Hipertensão arterial
  • Edema
Diurético de ansa: Furosemida Inibe o co-transportador luminal Na + / K + / Cl no ramo ascendente espesso da ansa de Henle
  • ↓ Edema
  • ↓ Pressão arterial
  • Edema / ascite
  • ICC
  • Hipertensão arterial
Diurético poupador de potássio: Espironolactona
  • ↓ Reabsorção de Na através dos canais ENaC no ducto coletor
  • Inibição dos recetores de aldosterona no ducto coletor
  • ↓ Pressão arterial
  • ↓ Edema
  • Não causa ↑ excreção de K +
  • Efeitos anti-androgénicos
  • ICC
  • Edema / ascite
  • Hipertensão arterial
  • Hirsutismo em mulheres
  • Hiperaldosteronismo primário
Inibidor da anidrase carbónica: Acetazolamida Inibe a hidratação de CO 2 nas células epiteliais PCT e a desidratação de H 2 CO 3 no lúmen do PCT; resulta na excreção de ↑ HCO 3 e Na +
  • ↑ Excreção urinária de HCO 3 → acidose metabólica
  • ↓ Pressão intraocular
  • Edema em doentes com alcalose metabólica
  • Doença de altitude
  • ↑ Pressão intraocular
  • Off label: hidrocefalia de pressão normal
Diuréticos osmóticos: Manitol ↑ Pressão osmótica no filtrado glomerular → ↑ fluido tubular e evita a reabsorção de água
  • ↓ Água livre
  • ↓ Volume de sangue cerebral
  • Aumento da pressão intracraniana
  • Pressão intraocular aumentada
PCT: túbulo contornado proximal
DCT: túbulo contornado distal
ICC: insuficiência cardíaca congestiva
Diuréticos

Os locais de ação no nefrónio das classes de fármacos diuréticos

Imagem por Lecturio. Licença: CC BY-NC-SA 4.0

Referências

  1. Ives, HE (2012). Diuretic agents. In Katzung, B.G., Masters, S.B., Trevor, A.J. (Eds.), Basic and Clinical Pharmacology, 12th ed. pp. 261–263.
  2. National Center for Biotechnology Information (2021). PubChem compound summary for CID 5546, triamterene. Retrieved June 15, 2021, from https://pubchem.ncbi.nlm.nih.gov/compound/Triamterene.
  3. National Center for Biotechnology Information. (2021). PubChem compound summary for CID 5833, sSpironolactone. Retrieved June 15, 2021, from https://pubchem.ncbi.nlm.nih.gov/compound/Spironolactone.
  4. Pitt, B., et al. (1999). The effect of spironolactone on morbidity and mortality in patients with severe heart failure. Randomized Aldactone Evaluation Study Investigators. New England Journal of Medicine 341:709–717. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10471456/
  5. Yancy, CW, et al. (2017). ACC/AHA/HFSA focused update of the 2013 ACCF/AHA guideline for the management of heart failure: a report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Clinical Practice Guidelines and the Heart Failure Society of America. Journal of Cardiac Failure 23: 628–651. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28461259/
  6. McDiarmid, AK, et al. (2020). Myocardial Effects of Aldosterone Antagonism in Heart Failure With Preserved Ejection Fraction. Journal of the American Heart Association. 9 (1), e011521 https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31852424/
  7. Agrawal, S., et al. (2015). Heart failure and chronic kidney disease: should we use spironolactone? American Journal of the Medical Sciences 350: 147-151. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26086152/
  8. Yang, CT, et al. (2018). Long-Term Effects of spironolactone on kidney function and hyperkalemia-associated hospitalization in patients with chronic kidney disease. Journal of Clinical Medicine 7: 459. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30469400/
  9. Nishizaka, MK, Zaman, MA, Calhoun, DA (2003). Efficacy of low-dose spironolactone in subjects with resistant hypertension. American Journal of Hypertension 16 (11 Pt 1): 925–930. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/14573330/
  10. Tu, W., et al. (2016). Triamterene enhances the blood pressure lowering effect of hydrochlorothiazide in patients with hypertension. Journal of General Internal Medicine 31: 30–36. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26194642/
  11. Hoorn, EJ, Ellison, DH (2017). Diuretic resistance. American Journal of Kidney Diseases 69: 136–142. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27814935/
  12. Knauf, H., Wais, U., Albiez, G., Lübcke, R. (1976). Inhibition of the exchange of Na for K and and H by triamterene (in epithelia)(author’s transl.). Arzneimittel-Forschung 26: 484–486. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/133688/
  13. Horisberger, JD, Giebisch, G. (1987). Potassium-sparing diuretics. Renal Physiology 10: 198–220. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/2455308/
  14. Ettinger, B., Oldroyd, N.O., Sörgel, F. (1980). Triamterene nephrolithiasis. JAMA 244: 2443–2445. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/7431573/
  15. Thürmann, PA (2016). Influence of drugs on urological diseases. Der Urologe 55: 401–409. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26908119/
  16. Nolan, PJ, D’Arcy, G. (1987). Triamterene drug fever and hepatitis. Medical Journal of Australia 147: 262. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/3670184/
  17. Nasr, SH, et al. (2014). Triamterene crystalline nephropathy. American Journal of Kidney Diseases 63: 148-152. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23958399/
  18. Tetti, M., et al. (2018). Liddle syndrome: review of the literature and description of a new case. Int J Mol Sci 19: 812. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29534496/
  19. Viswanathan, V., et al. (2013). Effect of spironolactone and amiloride on thiazolidinedione-induced fluid retention in South Indian patients with type 2 diabetes. Clin J Am Soc Nephrol 8: 225–232. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23184569/
  20. Pattanayak, RD, et al. (2017). Lithium-induced polyuria and amiloride: key issues and considerations. Indian J Psychiatry 59: 391–392. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29085107/
  21. Tomkiewicz, R.P., et al. (1993). Amiloride inhalation therapy in cystic fibrosis: influence on ion content, hydration, and rheology of sputum. Am Rev Respir Dis 148(4 Pt 1):1002–1007. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8214916/

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

🍪 Lecturio is using cookies to improve your user experience. By continuing use of our service you agree upon our Data Privacy Statement.

Details