Dacriocistite

A dacriocistite é a inflamação do saco lacrimal devido à obstrução do ducto nasolacrimal e à subsequente estase das lágrimas. Esta condição pode ter um início agudo ou crónico. A dacriocistite aguda apresenta-se dentro de horas ou dias com eritema, edema, sensibilidade e lacrimejo excessivo. O tipo crónico tem um curso gradual, muitas vezes manifestando-se com epífora. No que diz respeito à etiologia, a dacriocistite pode ser congénita ou adquirida. A obstrução do ducto nasolacrimal afeta 6% dos recém-nascidos. Os casos adquiridos ocorrem por trauma, doenças sistémicas ou tumores. O diagnóstico é clínico. Em alguns casos, há exames laboratoriais e de imagem que podem ajudar a determinar estruturas anormais e doenças subjacentes. O tratamento inicial inclui medidas conservadoras, como a massagem de Crigler, compressas quentes e antibióticos, se indicado. Se estas medidas falharem, avança-se para opções cirúrgicas.

Última atualização: Jul 6, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Descrição Geral

Definição

A dacriocistite é uma inflamação do saco lacrimal devido à obstrução do ducto nasolacrimal (DNL) e à subsequente estase das lágrimas.

Anatomia e fisiologia

  • Glândulas lacrimais
    • Localização: parte supero-lateral da órbita (fossa lacrimal)
    • Função: produzir lágrimas que protegem e lubrificam a parte externa do olho
  • Sistema de drenagem lacrimal
    • Canalículos lacrimais
    • Válvula de Rosenmuller: prega mucosa entre os canalículos e o saco lacrimal
    • Saco lacrimal: porção dilatada do DNL
    • DNL: drena para o meato nasal inferior
    • Válvula de Hasner: prega mucosa que cobre parcialmente o DNL que abre no meato nasal
  • Fisiologia
    • As lágrimas liberadas lubrificam o olho → entram nos canalículos lacrimais (através do ponto lacrimal) no canto medial do olho → canalículo comum → saco lacrimal → drenam para o DNL
Anatomia do aparelho lacrimal

Anatomia do aparelho lacrimal

Image by Lecturio.

Epidemiologia

  • Distribuição bimodal:
    • Após o nascimento (casos congénitos)
    • Em adultos > 40 anos de idade
  • Obstrução congénita do DNL: afeta 6% dos recém-nascidos
  • Mulheres > Homens
  • Caucasianos são mais frequentemente afetados

Vídeos recomendados

Tipos de Dacricistite

Com base na etiologia

A obstrução do sistema nasolacrimal é a principal etiologia.

  • Obstrução congénita de DNL
    • Causa mais comum: obstrução membranosa na válvula de Hasner por canalização incompleta do aparelho nasolacrimal
  • Dacriocistocelo congénito
    • Obstrução das porções proximal e distal do sistema de ducto nasolacrimal
    • Proximal: bloqueio no canalículo comum ou na válvula de Rosenmuller
    • Distal: bloqueio geralmente na válvula de Hasner
  • Adquirido
    • Patologia nasal: desvio de septo, pólipo nasal, corneto inferior hipertrofiado
    • Tumores: tumores primários do saco lacrimal e papiloma benigno ou neoplasias
    • Trauma: fratura nasal e cirurgia
    • Dacriólito: pedra dentro do saco lacrimal
    • Doença inflamatória: sarcoidose, granulomatose com poliangeíte
    • Sinusite: maxilar e etmoidal
    • Fármacos: timolol, pilocarpina, dorzolamida, idoxuridina e trifluridina

Com base no tempo de apresentação

  • Dacriocistite aguda
    • Inflamação aguda do saco lacrimal decorrente da obstrução do sistema lacrimal
    • A obstrução leva à estase da lágrima, proporcionando um ambiente propício ao crescimento bacteriano.
    • Organismos comuns de infeção local ou abcesso:
      • Staphylococcus epidermidis e S. aureus
      • Streptococcus alfa-hemolíticos
      • Pseudomonas aeruginosa
  • Dacriocistite crónica
    • Início insidioso
    • Obstrução crónica de:
      • Infeções recorrentes
      • Dacriólitos
      • Doenças sistémicas
      • Tumores

Vídeos recomendados

Apresentação Clínica

  • Dacriocistite aguda: os sintomas aparecem dentro de horas ou dias.
    • Eritema
    • Edema no canto medial e área inferomedial da órbita
    • Sensibilidade abaixo do canto medial do olho
    • Drenagem purulenta do punctum lacrimal
    • Olho colado: detritos e células epiteliais da superfície do olho
    • Epífora: lacrimejo excessivo
  • Os sintomas da dacriocistite crónica incluem:
    • Epífora: sintoma mais comum
    • Acuidade visual flutuante: o filme lacrimal aumentado refrata a luz de forma anormal.
    • Mucocelo:
      • Também chamado de dacriocelo ou dacriocistocelo
      • Massa palpável (formada a partir de fluido aprisionado) no canto medial
Apresentação clínica da dacriocistite

Imagens de abcesso lacrimal:
a. e b. Abcesso lacrimal localizado à direita, com secreção no canto medial;
c. um recém-nascido com abcesso lacrimal direito;
d. Abcesso lacrimal com celulite orbitária

Image: “Dacryocystitis” by Dacryology Service, Ophthalmic Plastics Surgery, L,V, Prasad Eye Institute, Banjara Hills, Hyderabad 500034, India. License: CC BY 2.0

Complicações

  • Complicações que envolvem outras estruturas oculares:
    • Celulite pré-septal:
      • Inflamação/infeção das estruturas anteriores ao septo orbitário (pele e tecido celular subcutâneo)
      • Apresenta-se com dor, febre, edema, eritema e secreções
    • Celulite orbitária:
      • Inflamação/infeção das estruturas posteriores para o septo orbitário (gordura orbital, músculos, osso)
      • Apresenta-se com dor, febre, eritema, secreções, edema, proptose, diplopia e movimentos oculares anormais
  • Complicações que ultrapassam o olho:
    • Meningite: inflamação das meninges
    • Sépsis: infeção associada a disfunção orgânica com risco de vida
    • Trombose do seio cavernoso: embolização de organismo(s) infecioso(s) que causam trombose no seio cavernoso

Diagnóstico

  • Clínico: baseado em sinais e sintomas
  • Análises laboratoriais:
    • Cultura de secreções do saco lacrimal: orienta a escolha do antibiótico
    • Obtido nos casos em que se considera que a etiologia pode ser uma doença sistémica
  • Teste de corante com fluoresceína (tempo de desaparecimento):
    • O corante de fluoresceína é colocado no olho do doente e é feita uma avaliação após 5 minutos (com filtro azul cobalto da lâmpada de fenda).
    • A persistência do corante e depuração assimétrica do mesmo confirma a obstrução do DNL
  • Imagiologia:
    • Tomografia computorizada (TC):
      • Para avaliar estruturas em casos de trauma/fratura
      • Para avaliar massas ou envolvimento tumoral
      • Para determinar a extensão da infeção/abcesso
    • Dacriocistografia:
      • Auxilia na avaliação de anomalias anatómicas do ducto
  • Endoscopia nasal:
    • Avalia patologia intranasal, como desvio do septo, estreitamento do meato inferior e hipertrofia do corneto inferior

Tratamento

  • Dacriocistite aguda por obstrução congénita do DNL
    • Sondagem do DNL: contraindicada na dacriocistite aguda
    • Massagem de Crigler:
      • Empurrar o dedo indicador para baixo no saco lacrimal e deslizar o dedo para baixo contra o lado ósseo do nariz.
      • 10 movimentos realizados 3 vezes por dia
      • Realizado até a criança completar 1 ano de idade
      • 90% das obstruções do DNL desaparecem entre os 6 e 12 meses de idade.
    • Compressas mornas (10 minutos, 4 vezes por dia)
  • Dacriocistite aguda com infeção
    • Infeção localizada:
      • Medidas conservadoras (massagem, compressa quente)
      • Antibióticos orais (cobertura para organismos gram-positivos)
    • Casos complicados com disseminação da infeção: antibióticos IV (cobertura para organismos gram-positivos e gram-negativos)
  • Dacriocistite crónica
    • Sondagem do DNL:
      • Sucesso em 70% dos casos
      • Feito em ambulatório
    • Outras opções se a sondagem falhar:
      • Stent nasolacrimal
      • Dacrioplastia com balão
      • Intubação nasolacrimal
    • Dacriocistorrinostomia percutânea (DCR) ou dacriocistorrinostomia endonasal (EN-DCR)
      • Realizada quando as medidas terapêuticas anteriores falharam
      • Para obstrução completa do DNL

Diagnósticos Diferenciais

  • Conjuntivite: inflamação da conjuntiva, o revestimento externo do olho. A etiologia pode ser infeciosa ou não infeciosa. Os doentes apresentam hiperemia e secreção ocular em um ou ambos os olhos. A conjuntivite bacteriana geralmente apresenta secreção purulenta, enquanto as causas víricas apresentam secreção aquosa.
  • Hordéolo (terçolho): abcesso que afeta o folículo dos cílios ou as glândulas da pálpebra. O terçolho apresenta-se geralmente como uma margem palpebral localmente dolorosa, eritematosa e edemaciada. A maioria das lesões resolve espontaneamente, sendo que a utilização de compressas mornas suaves pode facilitar a drenagem. Se o abcesso não resolver, é realizada incisão e drenagem por um oftalmologista.
  • Chalázio : massa firme e indolor na pálpebra que resulta da obstrução das glândulas Zeiss ou meibomianas. Esta condição é geralmente tratada de forma conservadora com compressas mornas. A persistência da lesão requer incisão e curetagem ou injeção de corticóide por um oftalmologista.

Referências

  1. Denniston, A., Murray, P. (2014). Oxford Handbook of Ophthalmology, Third edition. Oxford University Press, Oxford.
  2. Gilliland, G., Law, S., Ing, E. (2019). Dacryocystitis. Medscape. Retrieved 24 Sept 2020, from https://emedicine.medscape.com/article/1210688-overview#a4
  3. Paysse, E., Coats, D., Olitsky, S., Armsby, C. (2019). Congenital nasolacrimal duct obstruction (dacryostenosis) and dacryocystocele. UpToDate. Retrieved 24 Sept 2020, from https://www.uptodate.com/contents/congenital-nasolacrimal-duct-obstruction-dacryostenosis-and-dacryocystocele?search=dacryocystitis&sectionRank=1&usage_type=default&anchor=H772424785&source=machineLearning&selectedTitle=1~12&display_rank=1#H772424785
  4. Revere, K. (2019). Nasolacrimal Duct Obstruction: The Right Way to Teach Parents. Medscape. Retrieved 25 Sept 2020, from https://www.medscape.com/viewarticle/902470
  5. Snell, R. (2012). Clinical anatomy by regions (9th ed.). Lippincott, William and Wilkins, Philadelphia, USA.
  6. Taylor, R., Ashurst, J. (2020). Dacryocystitis. StatPearls. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK470565/

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

Details