Achieve Mastery of Medical Concepts

Study for medical school and boards with Lecturio

Conjuntivite

A conjuntivite é uma inflamação comum da conjuntiva bulbar e/ou palpebral. Pode ser classificada em conjuntivite infeciosa (principalmente vírica) e não infeciosa, que inclui causas alérgicas. Os doentes geralmente apresentam olho vermelho, lacrimejo excessivo, sensação de corpo estranho ou ardência e fotofobia. O prurido é o principal sintoma na conjuntivite alérgica. O tratamento depende da causa subjacente e inclui terapia antibiótica e antivírica, corticóides e anti-histamínicos.

Última atualização: Jun 1, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Epidemiologia e Etiologia

Epidemiologia

  • Queixa ocular não traumática mais comum
  • A incidência estimada nos Estados Unidos é de 6 milhões de pessoas por ano
  • Mais frequentemente diagnosticada em bebés, crianças em idade escolar e idosos

Etiologia

Conjuntivite infeciosa

  • Vírica
    • Adenovírus (causa mais comum, 65%–90% dos casos)
    • Vírus herpes simples (causa mais comum em crianças e bebés)
    • Vírus Varicela-Zoster (mais comum em idosos)
    • Picornavirus (enterovirus e coxsackievirus causam conjuntivite hemorrágica aguda)
    • Molusco contagioso (causa conjuntivite folicular crónica)
    • VIH (geralmente afeta o segmento posterior do olho)
  • Bacteriana
    • Staphylococcus aureus (causa mais comum em adultos)
    • Streptococcus pneumoniae
    • Haemophilus influenzae (causa mais comum em crianças)
    • Moraxella catarrhalis
    • Neisseria gonorrhoeae (mais comum em recém-nascidos) ou Neisseria meningitidis
    • Chlamydia trachomatis
    • Gram-negativos entéricos

Conjuntivite não infeciosa

  • Alérgica (por exemplo, de alergénios transportados pelo ar)
  • Não alérgica (por exemplo, “síndrome do olho seco”, associada a blefarite, síndrome de Sjögren, artrite reativa)

Vídeos recomendados

Apresentação Clínica

Os doentes podem apresentar alguns ou todos os seguintes sintomas:

  • Hiperemia da conjuntiva com injeção de vasos sanguíneos (aparência clássica de “olho rosa”)
  • Lacrimejo excessivo / epifora
  • Edema palpebral e da conjuntiva (quemose)
  • Secreções e formação de crostas (varia dependendo da etiologia)
  • Prurido, sensação de corpo estranho no olho
  • Fotofobia
  • Pupilas normalmente reativas com acuidade visual normal (importante para diagnósticos diferenciais!)
Conjuntivite vírica Conjuntivite bacteriana Conjuntivite alérgica
Secreções Secreções claras e aquosas Corrimento espesso e purulento amarelo, branco ou verde com crostas severas Secreções claras e aquosas
Envolvimento dos olhos Começa unilateral, mas geralmente progride para bilateral (altamente infecioso) Unilateral, raramente progrede para bilateral Bilateral
Aparência conjuntival Principalmente injeção periférica com folículos conjuntivais (pequenas pápulas inchadas geralmente na conjuntiva palpebral e bulbar) Injeção difusa, não folicular Injeção difusa com quemose e folículos conjuntivais
Outros sintomas Sinais extraoculares de infeção vírica (febre, linfadenopatia, faringite, erupção cutânea) Sinais de infeção bacteriana, dependendo da etiologia Espirros, prurido, dermatite atópica
Complicações
  • Queratite puntacta
  • Sobreinfeção bacteriana
  • Cicatrizes conjuntivais
  • Olho seco crónico
  • Cicatrizes na córnea
  • Úlceras da córnea
  • Úlceras da córnea
  • Défice da acuidade visual
  • Otite média
  • Meningite
  • Celulite
  • Pneumonia (em bebés)
  • Conjuntivite crónica
  • Olho seco crónico

Diagnóstico

O diagnóstico é principalmente clínico.

  • Conjuntivite vírica:
    • História de infeção vírica recente (não obrigatório)
      • Se os sintomas forem recorrentes/crónicos → é necessário esfregaço conjuntival, culturas ou isolamento viral
      • Observam-se células mononucleares e linfócitos na coloração de Giemsa de esfregaços conjuntivais.
  • Conjuntivite bacteriana:
    • Se doença persistente ou grave, o diagnóstico é incerto. Na conjuntivite neonatal, é necessário esfregaço conjuntival, cultura ou PCR
    • Achados em várias infeções bacterianas:
      • A conjuntivite bacteriana apresenta uma predominância de neutrófilos na coloração de Giemsa
      • Na oftalmia gonocócica neonatal, a coloração de Gram do exsudato mostra diplococos intracelulares gram-negativos; cultura em meio Thayer-Martin modificado permite o crescimento de N. gonorrhea.
      • Na conjuntivite por clamídia, a coloração de Giemsa mostra neutrófilos com corpos de inclusão e plasmócitos.
  • Conjuntivite alérgica :
    • História clínica, sinais e sintomas são geralmente suficientes.
    • A dor ocular não é característica da conjuntivite alérgica, e quando presente devem sempre ser descartados distúrbios mais graves, incluindo glaucoma de ângulo fechado, esclerite ou episclerite.
    • Se o doente não responder ao tratamento, está indicada a referenciação para a oftalmologia, que depois poderá encaminhar para um alergologista para um possível teste cutâneo que permita detetar o(s) alergénio(s) causador(es).
  • Em casos de défice visual, fotofobia importante, incapacidade de manter o olho aberto, reação anormal da pupila à luz ou dor de cabeça intensa com náusea, outros diagnósticos devem ser descartados (estando indicada a referenciação para especialistas):
    • Glaucoma
    • Uveíte
    • Queratite
    • Meningite (especialmente em bebés)

Tratamento

Conjuntivite vírica

  • A conjuntivite vírica não complicada é tratada sintomaticamente.
  • Colírios de anti-histamínico/lágrima artificial
  • A infeção por herpes simples é tratada com um antivírico tópico (por exemplo, ganciclovir).

Conjuntivite bacteriana

  • Antibióticos tópicos de largo espectro (por exemplo, eritromicina, trimetoprina-polimixina B)
  • Infeções por Neisseria e clamídia requerem tratamento sistémico
    • Para conjuntivite gonocócica, é administrada uma dose única de ceftriaxone intramuscular mais azitromicina oral. Agentes alternativos são cefotaxima ou ceftazidima.
    • Para conjuntivite neonatal por clamídia, a eritromicina oral é preferida.
  • Prevenção da oftalmia neonatal: rastreio materno pré-natal, tratamento com antibióticos sistémicos e profilaxia para recém-nascidos

Conjuntivite alérgica

  • Colírios de anti-histamínico/lágrima artificial
  • Anti-histamínicos orais e estabilizadores de mastócitos (por exemplo, cetotifeno)
  • Compressas frias
  • Anti-inflamatórios não esteróides (por exemplo, cetorolac)
  • Corticosteróides (por exemplo, fluorometolona)

Diagnósticos Diferenciais

As seguintes condições entram no diagnóstico diferencial de conjuntivite:

  • Glaucoma: condição causada por pressão intra-ocular aguda ou cronicamente aumentada ou – uma vez que até 40% das pessoas afetadas não têm PIO aumentada – pode haver suscetibilidade ganglionar aumentada à pressão normal, problemas com a microcirculação ou matriz extracelular no nervo ótico
    O tratamento inclui cirurgia e betabloqueadores e prostaglandinas tópicos. Se não for tratado, tanto o glaucoma de ângulo aberto (mais comum) como o glaucoma de ângulo fechado (menos comum) podem levar à cegueira.
  • Uveíte: emergência oftálmica causada por inflamação da úvea, que inclui a íris e o corpo ciliar e a coróide. A causa pode ser infeciosa (principalmente vírica) ou não infeciosa. Os sintomas mais comuns incluem dor ocular, hiperemia, visão turva, fotofobia, moscas volantes e pupilas irregulares. O tratamento inclui corticoides tópicos ou sistémicos, antivíricos e atropina tópica.
  • Queratite: inflamação aguda ou crónica da córnea, na maioria das vezes infeciosa. Outras causas incluem alergia e trauma. Os doentes geralmente apresentam olho vermelho, lacrimejo excessivo e dor, visão diminuída e fotofobia. O tratamento depende da condição subjacente e inclui antivíricos tópicos, antibióticos e antifúngicos.
  • Meningite (especialmente em bebés): uma inflamação potencialmente fatal das leptomeninges, na maioria das vezes devido a vírus ou bactérias. Os sintomas mais comuns incluem cefaleias, febre, rigidez do pescoço, alteração do estado mental, fotofobia e fonofobia. As crianças pequenas apresentam geralmente sintomas inespecíficos. O tratamento consiste em antibióticos, antivíricos e corticoides.
  • Hemorragia subconjuntival: Esta condição é geralmente assintomática. O aspeto clínico, com áreas demarcadas de sangue extravasado logo abaixo da superfície do olho, é geralmente óbvio e diagnóstico. Pode ocorrer espontaneamente ou com mecanismos associados à valsalva (por exemplo, tosse, espirro ou vómito). O diagnóstico é confirmado pela acuidade visual normal e ausência de secreção, fotofobia ou sensação de corpo estranho. Geralmente resolve dentro de 1 a 2 semanas.
  • Chalázio : apresenta-se como edema palpebral localizado indolor e nódulo firme e elástico. É causada pela obstrução das glândulas Zeiss ou Meibomius.
  • Síndrome do olho seco: uma doença multifatorial da superfície ocular com perda do filme lacrimal e sintomas oculares, também conhecida como queratoconjuntivite sicca. Os doentes apresentam olho seco, hiperemia, irritação geral, sensação de ardor e corpo estranho, epífora paradoxal, fotofobia ou visão turva.
  • Blefarite : inflamação da margem palpebral com irritação ocular. Os doentes apresentam geralmente pálpebras eritematosas, edemaciadas ou pruriginosas; sensação de corpo estranho; injeção conjuntival; crostas e cílios colados pela manhã; fotofobia; e visão turva.

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

Details