Complexo Articular do Ombro

O complexo articular do ombro compreende a articulação glenoumeral, articulação esternoclavicular, articulação acromioclavicular e articulação escapulotorácica, e liga o membro superior ao tronco. Este grupo de articulações consiste nos ossos da clavícula, escápula e úmero, vários músculos e ligamentos de suporte, cartilagem e bolsas articulares. Os músculos garantem a mobilidade e estabilidade do ombro e do membro superior e são divididos em 3 grupos: músculos axioapendiculares anteriores, axioapendiculares posteriores e escapuloumerais.

Última atualização: Nov 10, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Ossos

Clavícula

  • O único osso longo horizontal do corpo
  • Em forma de S, conecta o membro superior com o esqueleto axial
  • Juntamente com a escápula, forma a cintura escapular
  • Pontos de referência e articulações:
    • Articula-se medialmente com o esterno, para formar a articulação esternoclavicular
    • Articula-se lateralmente com a escápula, para formar a articulação acromioclavicular
Modelo de clavícula

Vista inferior da clavícula direita

Imagem por BioDigital, editada por Lecturio

Escápula

  • Plana, triangular, com 3 ângulos, 3 bordos e superfície anterior e posterior
  • Juntamente com a clavícula, forma a cintura escapular ou peitoral, ligando o membro superior ao tronco.
  • Pontos de referência e articulações:
    • Cavidade glenóide: lateral, articula-se com a cabeça do úmero para formar a articulação glenoumeral
    • Acrómio: continuação da espinha escapular, articula-se com a extremidade lateral da clavícula para formar a articulação acromioclavicular
    • Processo coracóide: anterior, em forma de gancho. É o local de fixação de múltiplos músculos e ligamentos estabilizadores

Úmero

  • Osso do braço
  • A extremidade proximal compreende a cabeça, o colo, os tubérculos maior e menor, e a diáfise.
  • Pontos de referência e articulações:
    • Cabeça do úmero: esférica, articula-se com a cavidade glenóide
    • Tubérculos: o maior é lateral e o menor é anterior. Os músculos supraespinhoso, infraespinhoso e redondo menor da coifa dos rotadores fixam-se no tubérculo maior, enquanto o subescapular fixa-se no tubérculo menor.

Articulações

Articulação acromioclavicular (AC)

  • Tipo de articulação: articulação sinovial plana entre o acrómio e a clavícula
  • Função: permite o movimento entre a clavícula e a escápula durante o movimento do braço
  • Ligamentos: o seu nome varia de acordo com as suas inserções anatómicas
    • Ligamento acromioclavicular: reforça a parte superior da cápsula articular e resiste ao deslocamento anteroposterior na articulação AC
    • Ligamento coracoclavicular: consiste nos ligamentos trapezóide e conóide e resiste ao deslocamento vertical e rotacional da clavícula em relação à escápula

Articulação glenoumeral

  • Tipo de articulação: articulação sinovial esférica entre a cabeça do úmero e a cavidade glenóide da escápula
  • Função: é a articulação mais móvel do corpo, com vários graus de movimento: flexão e extensão, abdução e adução, rotação interna e externa, e circundação do ombro
  • Ligamentos e estruturas de suporte:
    • Cápsula fibrosa: estende-se do colo anatómico do úmero até a bordo da glenóide
    • Labrum da glenóide: estrutura fibrocartilaginosa semelhante a um menisco que aprofunda a cavidade glenóide
    • Ligamentos: o seu nome varia de acordo com as suas inserções anatómicas
      • Ligamento coracoacromial: resiste ao deslocamento superior da cabeça do úmero da cavidade glenoideia
      • Ligamento coracoumeral: resiste ao deslocamento superior e inferior e reforça a porção anterior da cápsula articular
      • Ligamentos glenoumerais: consistem nas bandas superior, média e inferior e estabilizam a articulação durante a adução, abdução e rotação externa, dependendo da posição do ombro
      • Ligamento transverso do úmero: mantém a cabeça longa do tendão do bicípite braquial dentro do sulco bicipital
    • Bolsa subacromial:
      • Cavidade sinovial localizada inferiormente ao acrómio e à coracóide, e superior aos tendões dos músculos supraespinhoso/infraespinhoso
      • A função da bolsa é diminuir o atrito e facilitar o movimento entre essas estruturas durante o movimento do ombro.
Ligamentos superficiais e articulação bursa glenoumeral

Vista anterior da camada superficial dos ligamentos e bolsa articular glenoumeral direita

Imagem por BioDigital, editada por Lecturio

Articulação esternoclavicular (EC)

  • Tipo de articulação: articulação sinovial em sela entre o esterno e a porção medial da clavícula
  • Fixação esquelética primária entre o esqueleto axial e o membro superior
  • Função: permite o movimento da clavícula em vários planos
  • Ligamentos:
    • Ligamento esternoclavicular: fornece principalmente estabilização anterior/posterior e resiste ao deslocamento superior
    • Ligamento costoclavicular: ancora a clavícula à primeira costela e resiste à elevação clavicular
    • Ligamento interclavicular: fortalece a cápsula e resiste ao deslocamento para baixo da clavícula
Vista anterior da articulação esternoclavicular

Vista anterior da articulação esternoclavicular e da primeira articulação esternocostal

Imagem por BioDigital, editada por Lecturio

Articulação escapulotorácica

  • Não é uma verdadeira articulação sinovial
  • Função:
    • Articulação entre a escápula anterior côncava e a superfície convexa do tórax posterior
    • O movimento da escápula no tórax nesta articulação requer movimento das articulações AC e EC.
Pseudoarticulação escapulotorácica

Vista posterior da região escapular, destacando a pseudo-articulação escapulotorácica

Imagem por BioDigital, editada por Lecturio

Músculos Axioapendiculares Anteriores

Os músculos axioapendiculares anteriores são responsáveis pelo movimento da cintura escapular, estabilização da clavícula e movimentos do braço.

Tabela: Origem, inserção, inervação e função dos músculos axioapendiculares anteriores
Músculo Origem Inserção Inervação Função
Grande peitoral
  • Cabeça clavicular: superfície anterior da porção medial da clavícula
  • Cabeça esternocostal: esterno e 6 primeiras cartilagens costais superiores
Lábio lateral do sulco intertubercular Nervos peitorais lateral e medial (C5, C6: cabeça clavicular; C7, C8: cabeça esternocostal)
  • Adução e rotação interna da articulação do ombro
  • Tração da escápula anterior e inferiormente
Pequeno peitoral 3ª a 5ª costelas Processo coracóide da escápula Nervos peitorais mediais (C8, T1) Estabilização da escápula e tração anterior e inferior
Subclávio 1ª costela e junção do esterno Terço médio da clavícula Nervo subclávio (C5) Estabilização e depressão da clavícula
Serratus anterior Superfície externa da 1ª à 8ª costelas Bordo medial da escápula Nervo torácico longo (C6, C7) Protração a escápula; mantém a escápula contra a parede torácica posterior

Músculos Axioapendiculares Posteriores

Os músculos axioapendiculares posteriores estabilizam e movem a escápula, e dividem-se numa camada superficial e uma profunda.

Camada superficial ou extrínseca

Tabela: Origem, inserção, inervação e função da camada superficial ou extrínseca dos músculos axioapendiculares posteriores
Músculo Origem Inserção Inervação Função
Trapézio
  • Parte descendente: linha nucal superior e protuberância occipital externa
  • Parte transversa: ligamento nucal
  • Parte ascendente: processos espinhosos C7-T12
Terço lateral da clavícula e espinha da escápula Nervo acessório (NC XI) e nervos espinhais C3 e C4 para proprioceção
  • Parte descendente: elevação da escápula
  • Parte transversal: retração da escápula
  • Parte ascendente: depressão da escápula
  • Descendente e ascendente: girar superiormente a escápula
Grande dorsal Processos espinhosos T6-12, fáscia toracolombar e crista ilíaca Base do sulco intertubercular Nervo toracodorsal (C6, C7) Extensão, adução e rotação interna da articulação do ombro
Romboide
  • Menor: ligamento nucal e processos espinhosos C7-T1
  • Maior: processos espinhosos T2-T5
  • Menor: bordo medial da escápula (superior)
  • Maior: bordo medial da escápula (inferior)
Nervo escapular dorsal (C5)
  • Retração da escápula
  • Girar a escápula inferiormente (deprimindo a cavidade glenóide)
Elevador da escápula Processo transverso de C1-C4 Ângulo superior da escápula Nervo escapular dorsal (C5)
  • Elevação da escápula
  • Girar a escápula inferiormente (deprimindo a cavidade glenóide)
Deep or intrinsic posterior axioappendicular muscles

Músculos romboide maior, romboide menor e elevador da escápula, que são os músculos axioapendiculares posteriores profundos ou intrínsecos

Imagem por BioDigital, editada por Lecturio

Camada profunda ou intrínseca

A camada profunda ou intrínseca consiste em 6 músculos:

  • Deltoide
  • Redondo maior
  • Supraespinhoso
  • Infraespinhoso
  • Redondo menor
  • Subescapular

Músculos Escapuloumerais

Os músculos escapuloumerais estabilizam a articulação glenoumeral, conectando o úmero à escápula, incluindo os músculos da coifa dos rotadores.

Tabela: Origem, inserção, inervação e função dos músculos escapuloumerais
Músculo Origem Inserção Inervação Função
Deltóide
  • Cabeça clavicular: terço lateral da clavícula
  • Cabeça acromial: acrómio
  • Cabeça espinhal: espinha da escápula
Tuberosidade deltoideia do úmero Nervo axilar (C5)
  • Cabeça clavicular: flexão e rotação interna da articulação do ombro
  • Cabeça acromial: abdução do ombro
  • Cabeça da coluna vertebral: extensão e rotação externa da articulação do ombro
Redondo maior Margem lateral da escápula, porção inferior Lábio medial do sulco intertubercular Nervo subescapular inferior (C6) Adução e rotação interna da articulação do ombro
Coracobraquial Processo coracóide da escápula Região anteromedial do eixo do úmero Nervo musculocutâneo (C5, C6, C7) Flexão, adução e rotação interna da articulação do ombro

Músculos da coifa dos rotadores

Os músculos da coifa dos rotadores estabilizam a articulação do ombro e evitam o descolamento da cabeça do úmero da cavidade glenoideia, através da “compressão da concavidade”, especialmente durante a abdução do braço.

Mnemónica

Para se lembrar dos músculos da coifa dos rotadores, lembre-se de “SITS” :

S : Supraespinhoso

I : Infraspinhoso

T : Redondo menor (Teres minor)

S : Subescapular

Tabela: Origem, inserção, inervação e função dos músculos da coifa dos rotadores
Músculo Origem Inserção Inervação Função
Supraespinhoso Fossa supraespinhosa Faceta superior do tubérculo maior do úmero Nervo supraescapular (C5) Inicia e auxilia o deltóide na abdução do ombro
Infraespinhoso Fossa infraespinhosa Faceta média do tubérculo maior do úmero Nervo supraescapular (C5) Rotação externa da articulação do ombro e manter a cabeça do úmero na cavidade glenóide
Redondo menor Bordo lateral da escápula, porção média Faceta inferior do tubérculo maior do úmero Nervo axilar (C6) Rotação externa da articulação do ombro e manter a cabeça do úmero na cavidade glenóide
Subescapular Fossa subescapular Tubérculo menor do úmero Nervos subescapulares superior e inferior (C6) Rotação medial e adução da articulação do ombro, e manter a cabeça do úmero na cavidade glenóide
Músculos do manguito rotador

Vista posterior da região escapular e dos músculos da coifa dos rotadores (o subescapular não se encontra representado)

Imagem por BioDigital, editada por Lecturio

Relevância Clínica

As seguintes condições são condições comuns associadas ao ombro:

  • Luxação do ombro: separação da cabeça do úmero da cavidade glenóide. A articulação glenoumeral é a articulação mais frequentemente luxada. A grande maioria destas luxações são antero-inferiores (95%). Os doentes apresentam dor intensa no ombro e limitação da amplitude dos movimentos do ombro.
  • Patologia da coifa dos rotadores: consiste na rutura de um ou mais dos tendões dos 4 músculos da coifa dos rotadores. O supraespinhoso é o tendão da coifa dos rotadores que mais frequentemente sofre rutura. Pode estar associado a trauma ou a atividades repetitivas. Os doentes apresentam dor ou desconforto intenso, perda de força e limitação da amplitude dos movimentos. Estas lesões podem exigir correção cirúrgica.
  • Rutura do labrum superior de anterior para posterior (SLAP, pela sigla em inglês): consiste na lesão do labrum da glenóide. Os doentes apresentam dor incómoda, desconforto, diminuição da amplitude dos movimentos e da força, instabilidade articular e mudança na velocidade em atletas de desportos com movimentos acima da cabeça.
  • Bursite subacromial: inflamação da bolsa articular localizada entre o acrómio e o músculo deltóide superficialmente e o músculo supraespinhoso. É causada na maioria das vezes por movimentos repetitivos acima da cabeça. Os doentes apresentam dor, inchaço, perda de força e rigidez do ombro. Pode evoluir para síndrome de compressão (“impingement syndrome”).
  • Síndrome de compressão (“impingement syndrome”): um espectro de manifestações clínicas causadas pela compressão dos tecidos à medida que passam pelo espaço subacromial. A síndrome de compressão pode progredir para uma rutura da coifa dos rotadores. Tem múltiplas etiologias, incluindo movimentos repetitivos acima da cabeça ou qualquer condição que reduza ainda mais o espaço subacromial. A síndrome de compressão apresenta-se clinicamente com dor no ombro com movimentos acima da cabeça (“arco doloroso”), restrição da amplitude dos movimentos, perda de força e dor ao dormir sobre o ombro.
  • Capsulite adesiva: também conhecida como “ombro congelado”, é a perda de amplitude de movimento do ombro dolorosa, devido à inflamação e fibrose da cápsula fibrosa; pode estar associada a diabetes, patologia tiroideia, trauma ou imobilização prolongada.

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

Details