Perturbação de Ingestão Alimentar Compulsiva

A perturbação de ingestão alimentar compulsiva é um distúrbio caracterizado por episódios recorrentes de compulsão alimentar (consumo descontrolado de uma grande quantidade de comida num período de tempo reduzido) sem comportamento compensatório inapropriado. Os episódios ocorrem pelo menos semanalmente durante 3 meses consecutivos. Há uma sensação de perda de controle durante os episódios de compulsão alimentar e estão associados a sentimentos de angústia. O tratamento consiste numa combinação de psicoterapia e farmacoterapia.

Última atualização: May 20, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Descrição Geral

Definição

A perturbação de ingestão alimentar compulsiva é uma doença psiquiátrica classificada como um distúrbio alimentar em que o doente tem episódios de compulsão alimentar sem comportamentos compensatórios inadequados.

Compulsão alimentar é definido como o consumo de uma quantidade de alimentos numa quantidade de tempo especificada (por exemplo, 1 hora) que excede em larga escala o que a maioria das pessoas consumiria nesse mesmo tempo.

Epidemiologia

  • A prevalência ao longo da vida é de 2%–3%.
  • As mulheres são mais afectadas do que os homens.
  • Não existem diferenças na prevalência entre grupos raciais ou étnicos
  • Alta prevalência em doentes com obesidade grave (IMC > 40) mas também surge em doentes com peso normal
  • Aumento do risco de desenvolver uma comorbilidade médica associada, incluindo dor crónica, diabetes e hipertensão arterial.

Comorbilidades

  • Fobias específicas
  • Fobias sociais
  • Depressão
  • Perturbação de stress pós-traumático (PSPT)
  • Abuso de álcool ou dependência de substâncias

Vídeos recomendados

Diagnóstico

Diagnostico difícil:

  • Os doentes frequentemente sentem vergonha e relutância em procurar ajuda.
  • As pistas incluem:
    • Maior insatisfação com o peso do que o esperado
    • Peso flutuante
    • Sintomas depressivos
  • Pode ter um impacto negativo significativo na saúde física e/ou no funcionamento psicossocial

A avaliação inicial deve incluir:

  • Sinais de abuso (físico ou sexual)
  • Presença de comorbilidades associadas à obesidade, incluindo hipertensão, diabetes, DRGE, sindrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) e hipotiroidismo

Nas consultas subsequentes devem ser avaliadas:

  • Pressão arterial
  • Glicose no sangue (BG)
  • Estado nutricional e de exercício

Critérios de diagnóstico:

  • Episódios recorrentes de compulsão alimentar (ingestão de uma quantidade de comida superior ao normal num curto período) com sensação de perda de controlo (tanto no ato de comer quanto na quantidade de comida)
  • Caracteriza-se por 3 ou mais dos seguintes:
    • Comer mais rápido do que o normal
    • Comer descontroladamente até se sentir desconfortável
    • Comer grandes quantidades de alimento quando não se tem fome
    • Comer sozinho devido ao constrangimento
    • Sentir-se enojado consigo mesmo, deprimido ou culpado depois de comer demais
  • Não estão presentes comportamentos compensatórios inadequados como indução do vómito, jejum ou exercício excessivo (como observado na bulimia nervosa).
  • Os episódios ocorrem ≥ uma vez por semana durante 3 meses.

Tratamento

A avaliação e tratamento inclui outras questões psiquiátricas (depressão, ansiedade, baixa auto-estima), comorbilidades (por exemplo, obesidade, hipertensão) e necessidades nutricionais.

Psicoterapia

  • TCC:
    • Tratamento de 1ª linha
    • Tem melhores resultados que a terapêutica médica isolada (sem diferenças significativas na combinação de TCC com terapêutica médica)
    • Uma melhoria rápida dos sintomas está associada a um bom prognóstico.
  • Psicoterapia interpessoal: útil no tratamento a longo prazo visto que aborda a raiz dos problemas
  • Terapia de grupo: grupos que providenciam suporte como os grupos de dependências.
  • Modificação do estilo de vida:
    • Muitos dos doentes que cumprem os critérios da doença, procuram preferencialmente ajuda na redução de peso.
    • Uma dieta baixa em calorias e a prática de exercício físico são as melhores opções a longo prazo.
    • Uma consulta nutricional pode ser benéfica em casos extremos.

Farmacoterapia

  • Antidepressivos, tais como inibidores selectivos da recaptação de serotonina (IRSS) (por exemplo, fluvoxamina, citalopram, sertralina) ajudam nos sintomas de humor e de compulsão alimentar.
  • Os estabilizadores de humor, como o topiramato (um anticonvulsivante), demonstraram a sua eficácia.
  • Os estimulantes suprimem o apetite, mas têm pouco impacto a longo prazo.

Diagnóstico Diferencial

  • Anorexia nervosa: perturbação alimentar caracterizada por um medo intenso de ganhar peso, hábitos alimentares restritos e imagem corporal distorcida. Os doentes com anorexia nervosa estão geralmente abaixo do peso e relutantes na procura de ajuda médica. O tratamento envolve TCC e medicação antidepressiva. Os casos mais graves podem exigir hospitalização.
  • Bulimia nervosa: perturbação alimentar causada por ansiedade, definida por uma alimentação compulsiva episódica e recorrente, associada a um comportamento compensatório inapropriado (por exemplo, indução do vómito, abuso de laxantes, exercício excessivo). Os doentes com bulimia nervosa podem ter IMC normal ou elevado e são mais propensos a procurar ajuda. O tratamento envolve uma combinação de medicação TCC e SSRI.
  • Obesidade: condição associada a um peso corporal elevado, especificamente com deposição excessiva de tecido adiposo. O diagnóstico é frequentemente feito através da medição do IMC, sendo a obesidade definida como IMC > 30. A perturbação de ingestão alimentar compulsiva é um diagnóstico frequentemente encontrado nas pessoas com obesidade e, portanto, os médicos devem fazer um rastreio para detetar eventuais hábitos alimentares compulsivos nos doentes obesos. Os doentes com perturbação de ingestão alimentar compulsiva e obesidade têm uma maior prevalência de outras doenças psiquiátricas assim como de outros distúrbios alimentares mais graves.

Referências

  1. Kessler, RC, Berglund, PA, Chiu, WT, Deitz, AC, Hudson, JI, Shahly, V, Aguilar-Gaxiola, S, Alonso, J, Angermeyer, MC, Benjet, C, Bruffaerts, R, de Girolamo, G, de Graaf, R, Maria Haro, J, Kovess-Masfety, V, O’Neill, S, Posada-Villa, J, Sasu, C, Scott, K, Viana, MC, & Xavier, M. (2013). The prevalence and correlates of binge eating disorder in the World Health Organization World Mental Health Surveys. Biol Psychiatry. Pages 904–14. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23290497/
  2. Hudson, JI, Hiripi, E, Pope Jr., HG, & Kessler, RC. (2007). The prevalence and correlates of eating disorders in the National Comorbidity Survey Replication. Biol Psychiatry. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/16815322/
  3. Devlin, MJ, Goldfein, JA, Petkova, E, Jiang, H, Raizman, PS, Wolk, S, Mayer, L, Carino, J, Bellace, D, Kamenetz, C, Dobrow, I, & Walsh, BT. (2005). Cognitive behavioral therapy and fluoxetine as adjuncts to group behavioral therapy for binge eating disorder. Obes Res. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/15976151/
  4. Sadock, BJ, Sadock, VA, & Ruiz, P. (2014). Kaplan and Sadock’s synopsis of psychiatry: Behavioral sciences/clinical psychiatry (11th ed.). Chapter 15, Feeding and Eating Disorders, pages 509-532. Philadelphia, PA: Lippincott Williams and Wilkins.
  5. Westmoreland, P. (2017). Feeding and eating disorders. doi:10.2310/im.13038
  6. Westmoreland, P. (2018). Clinical management of feeding and eating disorders. doi:10.2310/im.13039

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

Details