Peritoneu: Anatomia

O peritoneu é uma membrana serosa que reveste a cavidade abdominopélvica. Este revestimento é formado por tecido conjuntivo e origina-se da mesoderme. Ainda, reveste as paredes abdominais (como peritoneu parietal) e todos os órgãos viscerais (como peritoneu visceral). O peritoneu sustenta e suspende os órgãos dentro da cavidade abdominal e fornece uma sustentação importante para a neurovasculatura que supre estes órgãos. Existem várias pregas peritoneais, conhecidas como mesentérios, omentos e ligamentos. O omento maior e menor divide a cavidade peritoneal numa cavidade maior e outra menor, as quais são espaços anatómicos importantes. Os órgãos localizados atrás do peritoneu parietal posterior são conhecidos como retroperitoneais, enquanto que os órgãos que se projetam para dentro da cavidade e são totalmente cobertos pelo peritoneu visceral são conhecidos como intraperitoneais.

Última atualização: 2 May, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Descrição Geral

Definição

O peritoneu é uma membrana serosa que reveste a cavidade abdominopélvica e cobre os seus órgãos.

  • Cavidade peritoneal: a cavidade envolvida pela membrana peritoneal
  • Função:
    • Sustenta e suspende os órgãos na sua localização adequada, dentro da cavidade abdominopélvica
    • Permite que os órgãos se movam livre e suavemente
    • Serve como um conduto protetor para a neurovasculatura que supre os órgãos suspensos dentro da cavidade (e.g., protege as artérias que vão da aorta aos intestinos)

Desenvolvimento

O peritoneu desenvolve-se a partir da mesoderme do embrião trilaminar:

  • A mesoderme da placa lateral divide-se, para formar 2 camadas separadas por um celoma intraembrionário:
    • Camada esplâncnica (também conhecida como camada visceral)
      • Adjacente à endoderme (que dá origem ao tubo intestinal primitivo)
      • Dá origem ao peritoneu visceral, que cobre os órgãos internos
      • Dá origem ao mesentério, conectando o tubo intestinal às paredes abdominais
    • Camada somática (também conhecida como camada parietal)
      • Adjacente à ectoderme superficial
      • Dá origem ao peritoneu parietal, que reveste a parede abdominal
  • Os mesentérios suspendem o tubo intestinal primitivo dentro da cavidade abdominal em desenvolvimento:
    • Mesentério ventral:
      • Ancora o tubo intestinal na parede abdominal anterior
      • Dá origem ao omento menor
    • Mesentério dorsal:
      • Ancora o tubo intestinal na parede abdominal posterior
      • Permanece como mesentério
      • Também dá origem ao omento maior
    • Contém os vasos sanguíneos que suprem o tubo intestinal primitivo à medida que este cresce para longe da aorta abdominal

Peritoneu e Cavidade Peritoneal

Anatomia do peritoneu

  • Histologicamente composto por:
    • Células mesoteliais
    • Camada fina de tecido fibroso
  • Camadas peritoneais:
    • Peritoneu visceral: cobre os órgãos viscerais abdominais
    • Peritoneu parietal: reveste o interior da parede abdominopélvica
  • Dobras peritoneais (consultar Compartimentos da cavidade peritoneal para obter detalhes):
    • Mesentérios
    • Ligamentos peritoneais
    • Omento
  • Subdivisões da cavidade peritoneal (consultar Neurovasculatura para detalhes) :
    • Saco maior, que contém:
      • Compartimento supracólico
      • Compartimento infracólico
    • Saco menor

Visualização da cavidade peritoneal

  • A cavidade peritoneal é o espaço delimitado pelo peritoneu parietal, que reveste a parede abdominal interna.
  • Os órgãos viscerais estão contidos neste espaço e são revestidos por peritoneu visceral.
  • Não há órgãos (apenas um fluido seroso) entre o peritoneu parietal e o peritoneu visceral.
  • Imaginar o peritoneu como um balão que preenche a cavidade abdominal:
    • Se empurrar o balão com o dedo, o seu dedo ocupa espaço e pode mover-se dentro do balão sem o estourar ou perfurar.
    • Os órgãos abdominais viscerais projetam-se “para dentro” da cavidade peritoneal (como o seu dedo quando empurra o balão) sem realmente perfurar o próprio peritoneu.

Limites da cavidade peritoneal

  • Anterior: músculos abdominais anteriores
  • Posterior:
    • Vértebras e costelas
    • Aorta e veia cava
    • Rins e glândulas suprarrenais
  • Superior: diafragma
  • Inferior: assoalho pélvico

Órgãos intraperitoneais versus órgãos retroperitoneais

Os órgãos podem ser classificados de acordo com a sua cobertura peritoneal:

  • Intraperitoneal: completamente contido no peritoneu parietal
  • Retroperitoneal: posicionado entre a parede do corpo e o peritoneu (atrás da cavidade peritoneal)
    • Retroperitoneal primário: órgãos que nunca estiveram dentro da cavidade peritoneal
    • Secundariamente retroperitoneal: órgãos que começam como intraperitoneais, durante o desenvolvimento inicial, mas terminam como retroperitoneais uma vez que estejam totalmente desenvolvidos
  • Subperitoneal: órgão posicionado abaixo do peritoneu
Tabela: Órgãos intraperitoneais versus retroperitoneais
Localização Órgãos
Intraperitoneal
  • Estômago
  • 1ª parte do duodeno (parte superior)
  • Jejuno
  • Íleo
  • Cego
  • Apêndice
  • Cólon transverso
  • Cólon sigmoide
  • Fígado
  • Vesícula biliar
  • Cauda do pâncreas
  • Baço
  • Órgãos reprodutores femininos:
    • Útero
    • Trompas de Falópio
    • Ovários
Secundariamente retroperitoneal
  • 2ª a 4ª partes do duodeno
  • Cabeça, pescoço e corpo do pâncreas
  • Cólon ascendente
  • Cólon descendente
  • Reto superior
Primariamente retroperitoneal
  • Rins
  • Ureteres
  • Glândulas suprarrenais/adrenais
  • Aorta abdominal
  • Veia cava inferior
Subperitoneal
  • Bexiga
  • Reto inferior
  • Canal anal
  • Órgãos reprodutores femininos: vagina
  • Órgãos reprodutores masculinos:
    • Próstata
    • Vesículas seminais
Desenvolvimento de órgãos retroperitoneais secundários

Desenvolvimento de órgãos secundariamente retroperitoneais:
Estes órgãos começam suspensos por um mesentério. No entanto, à medida que o órgão se desenvolve, o mesentério regride até que o órgão fique junto à parede posterior e termine como um órgão retroperitoneal.

Imagem por Lecturio.

Dobras Peritoneais

Mesentério

  • 2 camadas de peritoneu
  • Suspende e mantém os órgãos viscerais na parede abdominal posterior
  • Contém:
    • Artérias e veias
    • Vasos linfáticos
    • Nervos
  • Mesentérios específicos:
    • Mesentério do intestino delgado:
      • Conecta o jejuno e o íleo à parede abdominal posterior
      • Normalmente referido como simplesmente “o mesentério”
    • Mesocólon transverso: conecta o cólon transverso à parede abdominal posterior
    • Mesocólon sigmoide: prega peritoneal em forma de V que liga o cólon sigmoide à parede abdominal
Suprimento sanguíneo do intestino delgado
Suprimento sanguíneo do intestino delgado e do cólon, que corre dentro dos mesentérios
Imagem por Lecturio.

Ligamentos

  • 2 camadas de peritoneu
  • Conectam 2 órgãos entre si ou prendem um órgão à parede do corpo
  • Alguns ligamentos fazem parte de um omento.
  • Geralmente nomeados segundo as 2 partes do corpo que conectam
  • Ligamentos nomeados:
    • Frenicocólica: diafragma ↔ cólon transverso
    • Esplenorrenal: baço ↔ rim esquerdo
    • Gastrofrénico: estômago ↔ diafragma
    • Gastrocólica: estômago ↔ cólon transverso
    • Gastroesplénico: estômago ↔ baço
    • Hepatogástrico: fígado ↔ estômago
    • Hepatoduodenal: fígado ↔ duodeno
      • Entre a porta hepatis do fígado e a parte superior do duodeno
      • Contém a tríade portal: artéria hepática, veia porta e ducto biliar comum
    • Ligamento falciforme: fígado ↔ parede abdominal anterior

Omento

Os omentos são dobras de peritoneu em várias camadas. O omento maior e o omento menor são os 2 omentos existentes.

Omento maior:

  • Estrutura: uma prega de peritoneu de 4 camadas
  • Localização:
    • Pendurado na curva maior do estômago como um avental
    • Cobre o cólon transverso e grande parte do intestino delgado
  • Estrutura altamente móvel
  • Função:
    • Previne a formação de aderências entre os órgãos viscerais e a parede abdominal
    • Envolve os órgãos inflamados → sela-os limitando aderências
  • Composto por 3 ligamentos primários:
    • Gastrocólico
    • Gastroesplénico
    • Gastrofrénico

Omento menor:

  • Estrutura: dupla camada de peritoneu
  • Localização: estende-se do fígado até a curvatura menor do estômago e à porção proximal do duodeno
  • Composto por 2 ligamentos primários:
    • Ligamento hepatogástrico
    • Ligamento hepatoduodenal
Omento menor e forame omental in situ

Omento menor e buraco omental in situ

Imagem por Lecturio.

Compartimentos da Cavidade Peritoneal

Descrição Geral

A cavidade peritoneal é dividida em vários compartimentos diferentes pelo omento e pelo mesocólon transverso:

  • Saco maior:
    • Porção anterior da cavidade
    • Ainda subdividido em:
      • Compartimento supracólico
      • Compartimento infracólico
  • Saco menor:
    • Localizado na porção superior posterior do abdómen
    • Comunica com o saco maior através do buraco epiplóico, localizado na borda livre do omento menor
Uma seção sagital através do abdômen representando os sacos maior e menor

Uma secção sagital através do abdómen, representando os sacos maior e menor:
O saco maior está delineado a verde e o saco menor a azul.

Imagem por Lecturio.

Saco maior

O saco maior é dividido em 2 compartimentos pelo mesocólon transverso.

  • Compartimento supracólico:
    • Situa-se acima do mesocólon transverso
    • Contém:
      • Estômago
      • Fígado
      • Baço
  • Compartimento infracólico:
    • Situa-se abaixo do mesocólon transverso
    • Contém:
      • Intestino delgado
      • Cólon ascendente
      • Cólon descendente
    • Pode ser subdividido em metades direita e esquerda pelo mesentério do intestino delgado
  • Os compartimentos supracólicos e infracólicos comunicam livremente através das goteiras paracólicas.

Saco menor

O saco menor também é conhecido como bolsa omental.

  • Margens anatómicas:
    • Anterior:
      • Omento menor
      • Estômago
    • Posterior:
      • Pâncreas
      • Rim esquerdo e glândula suprarrenal
    • Inferior: omento maior
    • Superior e medial: fígado
    • Laterais: baço
  • Conectado ao saco maior através do buraco epiploico
  • Limites do buraco epiploico:
    • Ligamento hepatoduodenal (contém a tríade portal) anteriormente
    • Veia cava inferior posteriormente
    • Lobo caudado do fígado superiormente
    • 1ª parte do duodeno inferiormente

Neurovasculatura

Tabela: Neurovasculatura do peritoneu
Peritoneu parietal Peritoneu visceral
Suprimento arterial A partir da vasculatura da parede abdominal Artérias mesentéricas superior e inferior
Drenagem venosa As veias drenam para a veia cava inferior As veias drenam para a veia porta
Inervação Inervação somática dos nervos espinhais T10-L1 (a dor pode ser localizada) Inervação autonómica (a dor é difícil de localizar)

Relevância Clínica

  • Peritonite: inflamação do peritoneu. A peritonite pode ser causada por um abcesso intra-abdominal, pela rutura de um órgão abdominal infetado ou víscera oca (geralmente o apêndice ou um divertículo do cólon sigmoide), por infeção associada à diálise peritoneal, ou pode ser espontânea (tipicamente em indivíduos com cirrose e ascite).
  • Aderências peritoneais: conexões anormais entre o peritoneu visceral de órgãos adjacentes ou entre as camadas parietal e visceral do peritoneu. As aderências peritoneais são geralmente o resultado de inflamação e/ou lesão do peritoneu. Estas podem causar dor, obstrução intestinal e vólvulo. A lise cirúrgica das aderências pode, ocasionalmente, ser necessária se o indivíduo for sintomático, mas muitas vezes são assintomáticas e o tratamento não é necessário.
  • Ascite: acumulação patológica de líquido na cavidade peritoneal. A ascite ocorre devido a um desequilíbrio da pressão osmótica e/ou hidrostática secundária à hipertensão portal (cirrose, insuficiência cardíaca) ou hipertensão não portal (hipoalbuminemia, malignidade, infeção). Os indivíduos geralmente apresentam distensão abdominal progressiva e ganho de peso. O exame abdominal pode revelar macicez e uma onda de fluido positiva.
  • Exame FAST: protocolo de exame de ecografia à cabeceira do doente (POCUS, pela sigla em inglês), das cavidades abdominal e torácica, realizado na emergência como parte da pesquisa secundária, em suporte avançado de vida no trauma (ATLS, pela sigla em inglês). O principal objetivo do exame FAST é identificar líquido intraperitoneal livre (sangue) e derrame pericárdico por um trauma, que pode exigir intervenção cirúrgica de emergência. Um indivíduo pode sofrer uma exsanguinação na cavidade peritoneal.
  • Neoplasias peritoneais: neoplasias, raras, que podem originar-se a partir do peritoneu e/ou do próprio omento.

Referências

  1. Richard L.D., Wayne, A.V., Mitchell, A.W.M. (2020). Abdomen. In Richard L.D., et al. (Ed.), Gray’s Anatomy for Students (4th ed. pp. 300–306.) Churchill Livingstone/Elsevier,
  2. Isaza-Restrepo A., et al. (2018). The peritoneum: beyond the tissue—a review. Front Physiol 9:738. Retrieved August 8, 2021, from https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6014125/
  3. Kalra, A., Wehrle, C. (2021). Anatomy, abdomen and pelvis, peritoneum. StatPearls. Retrieved August 25, 2021, from https://www.statpearls.com/articlelibrary/viewarticle/32341/

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

Details