Achieve Mastery of Medical Concepts

Study for medical school and boards with Lecturio

Pénis

O pénis é o órgão masculino da cópula e da micção. O órgão é composto por uma raiz, corpo e glande. A raiz está presa ao osso púbico pelos crura penis, ou seja, as extremidades dos corpos cavernosos. O corpo consiste em 2 corpos cavernosos paralelos e o corpo esponjoso, que fica abaixo dos corpos cavernosos e através do qual passa a uretra. A glande é envolvida pelo prepúcio. O pénis é homólogo ao clitóris nas mulheres.

Última atualização: Jul 14, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Anatomia Macroscópica

Descrição Geral

O pénis está ligado ao osso púbico pelo crura pénis. Este anexo é a raiz do pénis e está localizado logo abaixo da próstata. A uretra entra no pénis pela raiz e viaja dentro do corpo esponjoso na face dorsal do pénis.

Ilustração do pênis

Anatomia transversal (sagital) da genitália masculina

Imagem: “Illustration of the penis” por US Federal Government/National Cancer Institute. Licença: Domínio Público, editado por Lecturio.

Estrutura

O pénis consiste em raiz, corpo e glande.

Raiz:

  • Estrutura interna, anexa no períneo
  • Começa abaixo da glândula bulbouretral
  • 3 massas de tecido erétil originam-se a partir do triângulo urogenital:
    • 2 crura (extremidades proximais aos corpos cavernosos)
    • 1 bulbo (extremidade proximal ao corpo esponjoso)

Corpo:

  • Existem 3 colunas eréteis que se estendem dos 2 pilares e 1 bulbo e percorrem o eixo:
    • Par de corpos cavernosos
    • Corpo esponjoso único
  • O tecido erétil está contido na túnica albugínea (bainha fibroelástica densa de tecido conjuntivo).
  • Feixes de músculo liso formam os seios cavernosos, revestidos por endotélio.
    • Seios engurgitados com sangue durante a excitação sexual → ereção
    • O ângulo oblíquo dos canais de saída venosos torna-se restrito devido ao volume de sangue nos seios cavernosos durante a excitação, que mantêm a ereção.
  • Uretra:
    • Contida dentro do corpo esponjoso
    • Mantém a permeabilidade do fluxo na forma de micção e ejaculação

Glande:

  • Composta pelo corpo esponjoso à medida que aumenta e assume uma forma bulbosa na cabeça do pénis
  • A corona separa a glande do eixo.
  • A glande do pénis é coberta pelo prepúcio.
Ilustração anatômica da estrutura do pênis

Tecidos eréteis do pênis

Imagem : “Ilustração anatômica da estrutura do pênis” por Grant, John Charles Boileau. Licença: Domínio Público

Pele

  • A fáscia de dartos e a fáscia de Buck subjacente têm uma adesão laxa → pele altamente móvel
  • Ausência geral de elementos glandulares e folículos pilosos
  • O prepúcio retrátil cobre a glande do pénis e fixa-se no frênulo.
Corte transversal do pênis

Anatomia transversal (frontal) do pénis
a.: artéria
v.: veia
s.: nervo

Imagem: “Cross section of the penis”  por Mcstrother. Licença: CC BY 3.0

Anatomia Microscópica

  • Corpos cavernosos:
    • Rede de seios cilíndricos
    • Revestido por endotélio
    • Os seios estão separados por músculo liso.
  • Corpo esponjoso:
    • Rede de seios cilíndricos
    • Semelhante em aparência aos corpos cavernosos
  • A túnica albugínea tem 2 camadas de fibra elástica em redor dos corpos:
    • Camada circular interna
    • Camada longitudinal externa

Neurovasculatura e Drenagem Linfática

Suprimento arterial

  • Artéria ilíaca interna → artéria pudenda interna → artéria perineal e artéria peniana comum
  • A artéria peniana comum tem 3 ramos:
    • Artéria bulbouretral: irriga o bulbo, a uretra, o corpo esponjoso e a glande
    • Artéria dorsal peniana: irriga a glande, corpo esponjoso e uretra
    • Artéria cavernosa: circula perto do centro de cada corpo cavernoso, tendo projeções diretas para os seios cavernosos
Suprimento arterial do pênis

Circulação arterial do pénis

Imagem : “Arterial supply of the penis” por Gray’s anatomy. Licença: Public Domain

Suprimento venoso

O sangue que sai do pénis é drenado por 1 de 3 sistemas venosos:

  • Superficial:
    • Dentro da fáscia de dartos
    • Drenagem da pele e prepúcio
  • Intermediário:
    • Sob a fáscia de Buck
    • Drenagem do pénis distal incluindo glande
  • Profundo
    • Drenagem do pénis proximal

Drenagem linfática

  • Pele → gânglios linfáticos inguinais superficiais
  • Glande → gânglios linfáticos inguinais profundos e ilíacos externos
  • Corpo → nódulos ilíacos internos

Inervação

  • A glande do pénis é altamente inervada com nervos sensitivos do nervo dorsal do pénis, um ramo do nervo pudendo.
  • Os corpos cavernosos recebem inervação simpática e parassimpática do nervo cavernoso, um ramo do plexo pélvico.

Ereção e Ejaculação

Ereção

  • No estado de repouso → as artérias helicinas permanecem contraídas, limitando o fluxo sanguíneo para o tecido erétil
  • Estimulação sexual (visual, tátil ou auditiva) → ativação do reflexo parassimpático
  • Libertação de neurotransmissores (nomeadamente óxido nítrico), que atuam no cGMP → relaxamento do músculo liso
  • Vasodilatação das artérias helicinas, o permite o influxo de sangue → preenchimento dos seios dos corpos cavernosos → ereção peniana
  • Preenchimento e a dilatação dos corpos cavernosos → contração da drenagem venosa → manutenção da ereção
  • O reflexo parassimpático também estimula as glândulas bulbouretrais → lubrificação da glande

Ejaculação

  • Os estímulos que provocam a ereção atingem o limite → indução do reflexo espinal (ao nível L1 e L2)
  • Provoca a estimulação simpática dos órgãos genitais:
    • Constrição do esfíncter uretral
    • A constrição dos ductos reprodutivos e das glândulas acessórias → força o conteúdo para a uretra (também conhecida como emissão)
    • O músculo bulboesponjoso contrai-se rápida e intermitentemente → empurra o sémen ao longo da uretra
    • O processo anterior é acompanhado pela sensação de prazer, pela contração muscular generalizada, pelo aceleramento do batimento cardíaco e pela elevação da pressão arterial

Resolução

  • Estímulo simpático:
    • A constrição da artéria pudenda interna → diminui o fluxo sanguíneo para os corpos cavernosos
    • A contração dos músculos envolventes dos corpos cavernosos acelera a drenagem
  • Seguido de um período refratário:
    • A ereção/ejaculação não pode ocorrer novamente.
    • A duração é determinada pela idade.

Relevância Clínica

  • Doenças do desenvolvimento sexual: Os cromossomas sexuais têm um papel fundamental na determinação do sexo. Anomalias dos cromossomas sexuais de diversas maneiras em diferentes estadios de desenvolvimento de um indivíduo, resultam em doenças do desenvolvimento sexual (DSD, pela sigla em inglês). As doenças penianas podem incluir hipospádia, epispádia, fimose, parafimose, micropénis, entre muitos outros.
  • Disfunção erétil: definida como a incapacidade de obter ou manter uma ereção peniana que resultaria na incapacidade de realizar relações sexuais vaginais. Doenças sistémicas, neurológicas e locais podem causar disfunção erétil. O tratamento inclui modificações no estilo de vida, dispositivos de ereção assistidos por vácuo e inibidores da fosfodiesterase.
  • Síndrome de Kallmann: forma de falhas reprodutivas devido ao hipogonadismo grave que nos homens resulta em testículos pequenos, micropénis, criptorquidia e ausência de características sexuais secundárias. A síndrome de Kallmann também está associada à perda completa de olfato. A terapia de reposição hormonal é útil para a maioria dos indivíduos.
  • Cancro do pénis: O cancro do pénis mais comum é o carcinoma de células escamosas. Este tipo de cancro é responsável por cerca de 95% de todos os cancros do pénis. As outras malignidades que afetam o pénis incluem carcinoma basocelular, tumores mesenquimais, melanoma maligno e metástases. A idade, comportamento sexual promíscuo (positividade para HPV), tabagismo e falta de higiene são fatores de risco para o desenvolvimento de cancro do pénis.

Referências

  1. Comperat, E. Moguelet, P. (2021) Lesions of the penis, the anatomy, epidemiology and carcinogenesis. Annales de Pathologie. Retrieved August 22, 2021, from https://europepmc.org/article/med/33820663
  2. Drake, R. L., Vogl, A. W., & Mitchell, A. W. M. (2014). Gray’s Anatomy for Students (3rd ed.). Philadelphia, PA: Churchill Livingstone.
  3. Sam, P., LaGrange C. A. (2020). Anatomy, Abdomen and Pelvis, Penis. StatPearls. StatPearls Publishing. Retrieved August 22, 2021, from https://www.statpearls.com/ArticleLibrary/viewarticle/26904

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

Details