Achieve Mastery of Medical Concepts

Study for medical school and boards with Lecturio

Olho: Anatomia

O olho humano é um órgão sensorial que tem a visão como a sua função primária. O olho tem uma forma esférica e é estruturado em 3 camadas: uma camada fibrosa externa de suporte, uma camada vascular média e uma camada neuronal interna. O olho também pode ser subdividido em 3 compartimentos: as câmaras anterior, posterior e vítrea. Ao redor do globo ocular estão os músculos extraoculares, o aparelho lacrimal, vários nervos e vasos e a estrutura óssea da órbita. A luz viaja através dos compartimentos do olho para focar na retina, que é o local onde os fotorrecetores convertem o estímulo num impulso neuronal, que é transportado pelo nervo ótico até o cérebro.

Última atualização: Jun 23, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Desenvolvimento

Geral

  • Desenvolve-se a partir do prosencéfalo
  • Regulado pelo gene PAX6
  • O placóide da lente dá origem à lente.
  • O copo ótico dá origem à retina.

Linha temporal

  • Começa na semana 3, com a formação de sulcos óticos no prosencéfalo
  • Os sulcos óticos fundem-se para se tornarem as vesículas óticas.
  • Na semana 4, as vesículas óticas formam o cálice ótico, que se torna a retina.
  • Continua até a semana 10 do desenvolvimento embriológico
Desenvolvimento embrionário dos olhos

Desenvolvimento embrionário do olho

Imagem por Lecturio.

Vídeos recomendados

Anatomia Geral

Características gerais

O olho adulto é um órgão complexo contido na cavidade orbitária (composta por 7 ossos). Cada olho tem várias camadas e câmaras e é rodeado por 6 músculos extraoculares.

  • Camadas do olho:
    • Camada fibrosa: esclera e córnea
    • Camada vascular (a úvea): coroide, corpo ciliar e íris
    • Camada neuronal: retina e nervo ótico
  • Câmaras do olho:
    • Anterior: entre a córnea e a íris
    • Posterior: entre a íris e a lente
    • Vítreo: entre o cristalino e a parede posterior do olho
  • Componentes da órbita:
    • 6 músculos extraoculares:
      • Levantador da pálpebra superior
      • Oblíquo superior
      • Oblíquo inferior
      • Reto lateral
      • Reto medial
      • Reto inferior
    • Aparelho lacrimal:
      • Glândulas lacrimais e os seus ductos associados
      • Produz lágrimas para fornecer lubrificação
    • Nervos e vasos sanguíneos
  • Função: sentido da visão
    • O meio refrativo direciona e refrata a luz para a retina. A luz viaja através:
      • Córnea
      • Cristalino
      • Humor aquoso
      • Humor vítreo
    • Lente e corpo ciliar ajustam a faixa de acomodação
    • A retina contém fotorrecetores (cones e bastonetes) e o nervo ótico
Representação da anatomia do olho

Anatomia do olho

Imagem por Lecturio.

Camadas do olho

O olho é composto por 3 camadas (fibrosa, vascular, neuronal) e uma cobertura de tecido conjuntivo transparente (conjuntiva).

Conjuntiva :

  • Tecido conjuntivo frouxo e transparente que cobre o olho (conjuntiva bulbar).
  • Adere firmemente ao limbo da córnea
  • Reflete sobre si mesma para formar a camada interna da pálpebra (conjuntiva palpebral)
  • Altamente vascular
  • Mantém a lubrificação normal do olho

Camada fibrosa:

  • A córnea:
    • Cobre a face anterior do olho
    • Aproximadamente 15% da camada fibrosa
    • Transparente, avascular e ricamente inervada
    • Responsável pela refração inicial da luz
  • Esclera:
    • Contínua com a córnea
    • Cobre a face posterior do olho
    • > 80% da camada fibrosa
    • Vista como a parte branca do olho
    • Local de fixação dos músculos extraoculares
  • Limbo:
    • Fronteira entre a córnea e a esclera
    • Via de saída do humor aquoso
    • Local da incisão cirúrgica para a cirurgia da catarata e da glaucoma

Camada vascular:

  • Úvea, ou trato úveal:
    • Composta pela íris, corpo ciliar e coroide
    • Situa-se entre a esclera e a retina
    • A porção anterior é a íris e o corpo ciliar.
    • A porção posterior é a coroide.
  • Coroide (úvea posterior):
    • Camada castanho-avermelhada entre a esclera e a retina
    • Contém grandes vasos externos e um leito capilar mais interno
    • Fonte de oxigénio/nutrientes para a retina
    • Contínua anteriormente com corpo ciliar
  • Corpo ciliar:
    • Estrutura muscular que conecta a coroide com a circunferência da íris.
    • Altera a forma e a espessura da lente (acomodação)
    • Os processos ciliares secretam humor aquoso.
  • Íris:
    • Diafragma pigmentado com abertura central (pupila)
    • Na superfície anterior da lente
    • Os músculos do esfíncter dentro da íris ajustam o tamanho pupilar em resposta à luz e ao sistema nervoso autónomo.
    • Exposição à luz/estimulação parassimpática:
      • Estreita a pupila (miose)
      • Músculo esfíncter pupilar
    • Escuridão/estimulação simpática:
      • Alarga a pupila (midríase)
      • Músculo dilatador da pupila
Ações musculares da íris

Os músculos do esfíncter da íris são responsáveis pela constrição (A) e dilatação (B) da pupila.

Imagem por Lecturio.

Camada neuronal:

  • Retina visual:
    • Camada neuronal:
      • Recetiva à luz
      • Termina anteriormente ao longo da ora serrata
    • Camada de células pigmentadas:
      • Camada única de células
      • Absorve a luz e reduz a dispersão da mesma dentro do olho
    • Disco ótico ou papila:
      • Conhecido como “ponto cego”: sem fotorrecetores
      • Localizado no fundo da retina, que é o local onde as fibras sensitivas do nervo ótico entram no globo ocular.
    • Mácula:
      • Contém cones fotorrecetores especiais que contribuem para a acuidade visual
      • Sem vasos sanguíneos
    • Fóvea:
      • Localizada no centro da mácula
      • Responsável pela visão de alta acuidade
      • Densamente saturada com fotorrecetores do tipo cones
  • Retina não visual:
    • Porção da retina que não é sensível à luz
    • Continuação anterior da camada de células pigmentares juntamente com células de suporte sobre o corpo ciliar e a superfície posterior da íris
Retina

Retina:
A fóvea e a mácula não possuem vasos sanguíneos, sendo responsáveis pela visão de alta acuidade. O disco ótico é o ponto de entrada da vasculatura do olho e não contém fotorrecetores.

Imagem por Lecturio.

Características da retina e as suas camadas:

Tabela: Características da retina e suas camadas
Camada da retina (externa para interna) Características
Epitélio pigmentado
  • Camada mais externa, mais próxima da coroide, a qual fornece nutrição aos fotorrecetores
  • Contém grânulos de melanina e armazena vitamina A
  • Absorve a luz e evita a reflexão
Camada de bastonetes e cones
  • Células fotorrecetoras
  • Bastonetes: células cilíndricas delgadas contendo rodopsina, localizadas em redor da fóvea central, especializadas na visão noturna (luz fraca) e movimento
  • Cones: células em forma de frasco contendo fotopsina/iodopsina, localizadas na fóvea central, especializadas na visão de cores, luz brilhante, reconhecimento de objetos e acuidade visual
Membrana limitante externa Suporta as células fotorrecetoras
Membrana nuclear externa Núcleos de células fotorrecetoras (neurónio de 1ª ordem)
Camada plexiforme externa 1ª sinapse, entre cones e bastonetes e células bipolares
Membrana limitante média Membrana de suporte
Camada nuclear interna Corpos celulares e núcleos de células bipolares (neurónio de 2ª ordem), transmitem informações para células ganglionares
Camada plexiforme interna Segunda sinapse, entre células bipolares e células ganglionares
Camada de células ganglionares
  • Os corpos celulares e núcleos de células ganglionares (neurónio de 3ª ordem) combinam-se aqui para formar o nervo óptico (nervo craniano (NC) II).
  • Transmite informações para o hipotálamo, núcleo pré-tectal, corpo geniculado lateral, colículo superior e córtex visual
Fibras do nervo ótico Axónios das células ganglionares
Membrana limitante interna Camada mais interna, mais próxima do humor vítreo

Câmaras do olho

  • O olho consiste em 3 câmaras fundidas:
    • Anterior: entre a córnea e a íris
    • Posterior: entre a íris e a lente
    • Vítreo: entre o cristalino e a parede posterior do olho
  • Humor aquoso:
    • Produzido pelos processos ciliares do corpo ciliar
    • Viaja para as câmaras anterior e posterior
    • Absorvido pelos linfáticos no canal de Schlemm
  • Corpo vítreo (também conhecido como humor vítreo):
    • Ocupa a câmara vítrea
    • Envolto pela membrana vítrea
    • Fluido no centro e gel nas bordas
    • Fixa-se firmemente à serrata, disco ótico, vasos retinianos, cápsula do cristalino e mácula
Estrutura da região límbica

Diagrama da estrutura da região límbica:
O humor aquoso é produzido pelos processos ciliares (1), circula pela pupila da íris para a câmara anterior (2) e, finalmente, pelo canal de Schlemm para o seio venoso escleral.

Imagem por Lecturio.

Neurovasculatura

Suprimento sanguíneo

Todo o suprimento arterial do olho é fornecido por ramos da artéria oftálmica e drenado por um sistema de veias que se unem para formar a veia central da retina.

  • A artéria oftálmica, ramo da artéria carótida interna, por sua vez, emite ramos:
    • Artéria central da retina:
      • 1º ramo da artéria oftálmica
      • Supre a camada interna da retina e todas as fibras nervosas que formam o nervo ótico
    • Artéria lacrimal:
      • 2º ramo da artéria oftálmica
      • Supre as pálpebras, glândula lacrimal e conjuntiva
    • Artérias ciliares:
      • Incluem as artérias ciliares posteriores longas e curtas e a artéria ciliar anterior
      • Suprem a coroide e a íris
    • Artéria supraorbitária:
      • Bifurca-se para formar um ramo superficial e profundo
      • Supre a pálpebra superior, músculo elevador da pálpebra, pele da testa e couro cabeludo
    • Artérias etmoidais:
      • Inclui as artérias etmoidais anterior e posterior
      • Suprem os seios etmoidais
    • Artéria palpebral medial:
      • Também conhecida como artéria palpebral interna – superior e inferior
      • Origina-se da artéria oftálmica perto dos seus ramos terminais
      • Supre as pálpebras
    • Artérias musculares:
      • Ramos medial e lateral da artéria oftálmica
      • Suprem os músculos extraoculares
    • Ramos terminais:
      • Artéria nasal dorsal: irriga o saco lacrimal e a ponta do nariz
      • Artéria supratroclear: irriga a fronte medial
  • Drenagem venosa:
    • A veia central da retina e as veias vorticosas fundem-se com as veias oftálmicas superior e inferior
    • Estas veias drenam para o seio cavernoso, o plexo venoso pterigoideu e a veia facial.

Inervação

  • Visão:
    • Nervo ótico (NC II)
    • A camada mais interna da retina contém fotorrecetores, que convertem estímulos luminosos em impulsos neuronais transmitidos pelo nervo ótico:
      • Bastonetes: melhor desempenho com pouca luz; cerca de 120 milhões em cada retina
      • Cones: visão de cores; cerca de 6 milhões em cada retina
  • Miose:
    • Constrição pupilar
    • Fibras parassimpáticas dos nervos ciliares curtos para o músculo constritor da pupila
  • Midríase:
    • Dilatação pupilar
    • Fibras simpáticas dos nervos ciliares longos para o músculo dilatador radial da pupila
  • Acomodação:
    • Espessamento da lente para permitir visão de perto
    • Os nervos ciliares curtos (ramo do III nervo craniano) inervam os músculos ciliares, que alteram a forma do cristalino.
  • Sensação: ramo oftálmico (V1) do nervo craniano V (nervo trigémeo)

Função

Visão

  • A função do olho é fornecer o sentido da visão.
  • Os raios de luz passam pela córnea, humor aquoso, pupila, cristalino e humor vítreo para focar na camada mais interna da retina.
  • A córnea e o cristalino trabalham juntos para focar a luz na retina.
  • A íris controla a quantidade de luz que entra no olho, ajustando o tamanho da pupila em resposta à intensidade da luz e à distância do objeto.
  • As células fotorrecetoras da retina geram impulsos elétricos e químicos, que são transmitidos ao cérebro através do nervo ótico (NC II), resultando numa interpretação da imagem.

Meios refrativos do olho

  • Córnea:
    • Responsável pela maior parte da refração
    • Transparente, devido ao seu arranjo de colágeno e estado avascular
  • Lente:
    • Transparente, biconvexa
    • Funciona com a córnea para uma refração ideal
    • A refração varia de acordo com a quantidade de acomodação necessária:
      • Visão distante: diminuição da convexidade, lente achatada
      • Visão de perto: aumento da convexidade, lente esférica
  • Humor vítreo (corpo vítreo):
    • Fluido aquoso dentro de uma substância gelatinosa transparente
    • Mantém a pressão intraocular
  • Humor aquoso:
    • Fluido transparente e aquoso
    • Protege a córnea e o cristalino e preenche as câmaras anterior e posterior
    • Produzido pelos processos ciliares
    • Drenam para o seio venoso escleral através do canal de Schlemm, no ângulo iridocorneal

Células fotorrecetoras da retina

  • Bastonetes:
    • Funcionam melhor com pouca luz
    • Fornecem visão a preto e branco
    • 120 milhões de bastonetes em cada retina
  • Cones:
    • Funcionam melhor com luz brilhante
    • Fornecem visão de cores e acuidade visual
    • 6 milhões de cones em cada retina

Relevância Clínica

Distúrbios da perceção visual

  • Erros de refração: condições em que a forma do olho não refrata a luz corretamente, resultando numa visão desfocada. Os principais tipos de erros de refração são a miopia (diminuição visão ao longe), hipermetropia (diminuição da visão ao perto), presbiopia (perda da visão de perto com a idade) e astigmatismo (curvas incompatíveis da córnea e do cristalino).
  • Distúrbios da via visual: As estruturas responsáveis por distúrbios da via visual incluem a retina, o nervo ótico, o quiasma ótico, o trato ótico, a radiação ótica e córtex visual do lobo occipital. O local do dano é frequentemente localizável por oftalmoscopia, pelas reações pupilares e pelo padrão de defeitos do campo visual.

Doenças sistémicas que afetam o olho

  • Retinopatia diabética: doença vascular da retina que afeta indivíduos com diabetes mellitus de longa data. A perda de visão é tipicamente lenta e progressiva e ocorre, na maioria dos indivíduos, 2 a 3 décadas após o início do diabetes.
  • Retinopatia hipertensiva: alterações retinianas em indivíduos com hipertensão de longa data. A retinopatia hipertensiva geralmente inclui estenose arterial e hemorragia.

Distúrbios diversos do olho

  • Conjuntivite: inflamação da conjuntiva devido a uma reação infeciosa (incluindo agentes bacterianos, virais ou fúngicos), alérgica ou autoimune. Os indivíduos apresentam hiperemia conjuntival, secreção ocular que pode ser aquosa ou purulenta, desconforto ou sensação de corpo estranho.
  • Descolamento de retina: emergência médica na qual uma camada de tecido da retina se desprende da camada coroide de suporte subjacente. O descolamento da retina pode ser causado por trauma ou um alto grau de miopia, e os indivíduos geralmente têm história familiar deste distúrbio. O descolamento de retina deve ser tratado dentro de 24 a 48 horas ou pode levar à perda permanente da visão.
  • Catarata: diminuição da visão devido a uma turvação ou perda de transparência do cristalino, comum com o avançar da idade. O tratamento da catarata requer a extração cirúrgica do cristalino opaco e, geralmente, o implante de um novo cristalino.
  • Glaucoma: condição que cursa com aumento da pressão intraocular resultante da drenagem inadequada do humor aquoso, geralmente devido a um bloqueio. A menos que seja medicamente tratado ou corrigido cirurgicamente, o glaucoma pode levar à perda gradual da visão devido a danos no nervo ótico.
  • Síndrome de Horner: Essa síndrome é causada pela interrupção do suprimento nervoso simpático para o olho e é caracterizada por miose ipsilateral, ptose parcial, enoftalmia e anidrose hemifacial.
  • Retinoblastoma: malignidade intraocular que começa na retina. O retinoblastoma geralmente manifesta-se durante a infância com um reflexo pupilar anormal à luz, conhecido como leucocoria (pupila branca).

Referências

  1. Bales, T.R., Lopez, M.J., Clark, J. (2021). Embryology, eye. StatPearls. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK538480/
  2. Silverman, M.A., Brenner, B.E. (2021). What is the conjunctiva and what is its function? Medscape. https://www.medscape.com/answers/797874-22279/what-is-the-conjunctiva-and-what-is-its-function
  3. Nguyen, J.D., Duong, H. (2021). Anatomy, head and neck, eye nerves. StatPearls. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK549919/
  4. Bird, B., Stawicki, S.P. (2021). Anatomy, head and neck, ophthalmic arteries. StatPearls. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK482317/
  5. Dahl, A.A., Gest, T.R. (2017). Retina anatomy. Medscape. https://emedicine.medscape.com/article/2019624-overview
  6. Gupta, N., Motlagh, M. Singh, G. (2021). Anatomy, head and neck, eye arteries. StatPearls. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK537063/
  7. Bardorf, C.M., Ing, E.B. (2019). Horner syndrome. Medscape. https://emedicine.medscape.com/article/1220091-overview
  8. Mahabadi, N., Khalili, Y.A. (2021). Neuroanatomy, retina. StatPearls. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK545310/
  9. Smith, A.M., Czyz, C.N. (2020). Neuroanatomy, cranial nerve 2 (optic). StatPearls. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK507907/

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

Details