Achieve Mastery of Medical Concepts

Study for medical school and boards with Lecturio

Noções Básicas de Enzimas

As enzimas são biocatalisadores de proteínas complexas que aceleram reações químicas sem serem consumidas por elas. Devido às constantes necessidades metabólicas do corpo, a ausência de enzimas tornaria a vida insustentável, pois as reações ocorreriam muito lentamente sem essas moléculas. As enzimas têm muitas funções, incluindo degradação e síntese de macromoléculas (catabolismo e anabolismo), transdução de sinal, geração de energia (trifosfato de adenosina[ATP] ), bombas iônicas/transporte ativo, reações de defesa e depuração (oxidação, redução, hidrólise), regulação celular, movimento (miosina ATPase, transporte de substâncias intracelulares) e respostas imunes.

Última atualização: Feb 25, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Descrição Geral

Definição

Uma enzima é uma proteína que apresenta sítios ativos que realizam reações diminuindo a energia de ativação dessa reação.

Características da enzima

  • Proteína complexa e biocatalisador (catalisador de origem biológica)
  • Permanece inalterado após a reação
  • Identificado pela presença do sufixo “-ase” (por exemplo, lactato desidrogenase)
  • Altamente específico para substratos e produtos específicos
    • Substrato (S): uma substância sobre a qual a enzima atua
    • Complexo enzima-substrato (ES) : molécula temporária formada pela ligação não covalente da enzima e substrato via:
      • Interações iônicas: conexões entre moléculas carregadas
      • Interações hidrofóbicas
      • Forças de Van der Waals: atrações intermoleculares fracas entre moléculas não carregadas
      • Ligação de hidrogênio
    • Produto (P): molécula criada pela reação enzimática
  • O PH e a temperatura podem alterar suas funções.
Cinética enzimática

Relação entre substratos e enzimas, a reação enzimática reversível e a formação e liberação do produto

Imagem por Lecturio.

Site ativo

  • Área de uma enzima que se liga a moléculas de substrato específicas para facilitar uma reação
  • Consiste em sítios de ligação e catalíticos
  • Sítios de ligação: a área onde o substrato se liga
  • Sítio catalítico: a área que reduz a energia de ativação (energia necessária para que uma reação ocorra)
Enzima

A localização do sítio ativo enzimático e sua relação com o substrato

Imagem por Lecturio.

Especificidade da Enzima

  • Especificidade do substrato: Cada enzima pode converter apenas um substrato particular. Isso é baseado no modelo de “ajuste induzido”, no qual o sítio de ligação da enzima muda para corresponder a um substrato específico.
  • Estereoespecificidade: Os substratos devem ser um isômero específico (por exemplo, a lactato desidrogenase só pode converter L-lactato em piruvato e não sua imagem espelhada, D-lactato).
  • Especificidade do grupo: As enzimas reagem com um grupo químico específico (por exemplo, um grupo amino) localizado no substrato.
  • Especificidade da reação: Cada enzima pode catalisar apenas um tipo específico de reação (por exemplo, hidrólise).

Classificação

Nomenclatura de enzimas

A primeira parte do nome descreve o substrato. A última parte descreve a função da enzima. A primeira parte descreverá o produto se o seguinte for verdadeiro:

  • O produto é bioquimicamente importante (por exemplo, piruvato quinase).
  • A enzima está na categoria de ligase descrita na tabela abaixo (por exemplo, glutamina sintetase).
  • Uma enzima com a mesma função já existe e atua sobre o substrato (por exemplo, piruvato desidrogenase e lactato desidrogenase).

Classificação enzimática

Grupo principal Reação catalítica Subclasses importantes (exemplos)
Oxirredutases Transferência de equivalentes de redução (1 mol de elétrons); o doador de elétrons é oxidado e aumenta sua carga, o aceptor de elétrons é reduzido e diminui sua carga Desidrogenases (álcool desidrogenase), oxidases (xantina oxidase), redutases (glutationa redutase)
Transferases Transferência de grupos inteiros (por exemplo, grupos amino)
  • Aminotransferases (aspartato aminotransferase[AST] )
  • Fosfotransferases (glicogênio fosforilase)
Hidrolases Fissão molecular com adição de água = fissão hidrolítica
  • Esterases (acetilcolinesterase)
  • Peptidases/proteases (α-amilase)
Liases Quebra ligações entre 2 carbonos, ou um átomo de carbono e oxigênio, ou carbono e enxofre
  • CC liases (aldolase)
  • CO liases (fumarase)
Isomerases Conversão de moléculas isoméricas umas nas outras sem alterar a fórmula molecular Cis-trans isomerases (peptidil-prolil cis-trans isomerase, fosfoglucoisomerase)
Ligases Também chamadas de sintetases, ligação de compostos dependente de energia (por exemplo, dependente de ATP)
  • CC ligases (piruvato carboxilase)
  • CN ligases (glutamina sintetase)

Isoenzimas, Coenzimas e Grupos Prostéticos

As enzimas podem ser modificadas de maneiras comuns para permitir que diferentes órgãos tenham as mesmas atividades ou que substâncias fora da sequência de substrato/enzima/produto influenciem as enzimas.

Isoenzimas

  • Catalisam os mesmos tipos de reações, mas diferem ligeiramente em sua estrutura (diferente sequência de aminoácidos) e nos órgãos em que atuam (glicogênio fosforilase nos músculos versus α-glicosidase no coração)

Coenzimas

  • Pequenas moléculas auxiliares muitas vezes necessárias para iniciar a reação enzimática
    • Estas moléculas têm a capacidade de se ligar/desligar da enzima.
    • Servir a uma variedade de funções (transferência de elétrons, transferência de materiais orgânicos)
    • As vitaminas muitas vezes servem como precursores de muitos cofatores orgânicos.
O papel da coenzima

A interação entre enzimas, coenzimas e fixação do substrato

Imagem por Lecturio.
Coenzimas comuns
A seguir apresenta-se uma lista de coenzimas comuns e os tipos de reação com os quais estão envolvidos.
Coenzima Vitamina associada Tipo de reação Exemplos de enzimas
Pirofosfato de tiamina B1 Descarboxilação oxidativa
  • Transcetolase
  • Piruvato desidrogenase
  • α-cetoglutarato desidrogenase
FAD/FADH 2 B2 Transferência de elétrons Succinato desidrogenase
NAD + /NADP + B3 Transferência de elétrons Muitas desidrogenases
Lipoamida B4 Descarboxilação oxidativa Piruvato desidrogenase
Coenzima A (CoA) B5 Transferência de grupo acil α-cetoglutarato desidrogenase
Fosfato de piridoxal B6 Transaminação Alanina transaminase (ALT)
Biotina B7 Transferência de grupo carboxila Piruvato carboxilase
Tetrahidrofolato (THF) B9 Transferência de grupos C1
  • Timidilato sintase
  • Síntese de purinas
5-desoxiadenosil cobalamina B12 Rearranjos intramoleculares
  • Metilmalonil-CoA mutase
  • Homocisteína metiltransferase

Grupos protéticos

  • Unidades não polipeptídicas específicas firmemente ligadas à enzima e necessárias para a função biológica de algumas enzimas
  • Estas moléculas estão permanentemente ligadas à enzima.
A interação entre enzimas, grupos prostéticos e fixação do substrato.

A interação entre enzimas, grupos prostéticos e fixação do substrato

Imagem por Lecturio.

Relevância Clínica

As seguintes condições são causadas por uma deficiência enzimática:

  • Deficiência de glicose-6-fosfato desidrogenase : herdada de forma recessiva ligada ao X. Pode causar anemia hemolítica intravascular episódica quando desencadeada por infecções, certos medicamentos, estresse ou alimentos como favas, com todos os sintomas e sinais de anemia hemolítica, como icterícia, palidez, dispneia, fadiga e taquicardia. Também pode produzir icterícia neonatal em recém-nascidos.
  • Galactosemia : forma mais comum e grave de galactosemia. Produzido devido a uma deficiência de galactose-1 fosfato uridiltransferase. Apresenta-se dias após o nascimento com manifestações clínicas como letargia, déficit de crescimento, icterícia e outras características de lesão hepática
  • Doença granulomatosa crônica : distúrbio crônico caracterizado pela formação de granuloma. As células fagocíticas são incapazes de produzir superóxido bactericida devido a um defeito na nicotinamida adenina dinucleotídeo fosfato oxidase nas células.
  • Doenças de depósito lisossômico: um grupo de distúrbios metabólicos genéticos causados por defeitos lisossômicos que resultam em acúmulo de metabólitos não digeridos e morte celular
    • Doença de Gaucher : distúrbio hereditário que leva ao acúmulo de substratos glicolipídicos não degradados nas células devido a uma deficiência de β-glicosidase ácida
    • Doença de Krabbe: Também conhecida como leucodistrofia de células globóides, esta condição é produzida devido a uma atividade deficiente da galactocerebrosidase, que produz um acúmulo de galactosilceramida.
    • Doença de Tay-Sachs : Produzida devido a uma deficiência de hexosaminidase A, esse distúrbio autossômico recessivo de armazenamento de lipídios pode causar cegueira, hipotonia, declínio cognitivo progressivo e convulsões.

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

Details