Domina os Conceitos Médicos

Estuda para o curso e exames de Medicina com a Lecturio

Medição e Melhoria da Qualidade

As organizações de saúde e os programas de saúde pública visam melhorar a saúde dos indivíduos e da população. O Institute of Medicine (IOM) dos Estados Unidos define cuidados de saúde de qualidade como cuidados seguros, eficazes, centrados no doente, oportunos, eficientes e equitativos. Qualidade, simplesmente definida, é o grau de excelência comparado com padrões ou referências predeterminados. As medidas de qualidade (QMs, pela sigla em inglês) usadas para determinar a qualidade e melhorar o atendimento podem ser amplamente categorizadas da seguinte forma: processo, resultado, perceção do doente, estrutura organizacional e/ou sistema. Um exemplo de uma QM baseada em resultados é o número de pessoas que receberam um serviço ou ação (como o rastreio do cancro de mama) dividido pelo número de pessoas que deveriam ter recebido o serviço ou ação em particular com base numa referência predeterminada. Uma QM é definidoa como boa se for importante, mensurável e viável. Foram desenvolvidos modelos para melhoria da qualidade para orientar esforços na melhoria da qualidade. LEAN, Plan-Do-Study-Act (PDSA) e 6 Sigma são exemplos de alguns destes modelos. A chave para a melhoria da qualidade bem-sucedida é um compromisso organizacional com uma cultura de melhoria contínua.

Última atualização: 3 May, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Introdução

Definições de qualidade:

  • OMS: o grau em que os serviços de saúde para indivíduos e populações aumentam a probabilidade de resultados em saúde desejados
  • Saúde pública: o grau em que políticas, programas, serviços e investigações aumentam os resultados desejados em saúde pública para uma população saudável
  • Institute of Medicine (IOM): cuidados de saúde seguros, eficazes, eficientes, centrados no doente, oportunos e equitativos
  • Comissão Europeia: cuidados de saúde eficazes, seguros e que respondam às necessidades e preferências dos doentes

As medidas de qualidade nos cuidados de saúde são desenvolvidas para:

  • Avaliar o estado atual da qualidade dos cuidados de saúde
  • Defina metas para melhoria da qualidade (QI) usando um padrão ou referência predeterminado

Medidas de Qualidade (QMs)

QMs:

  • Usadas para determinar a qualidade e melhorar o atendimento
  • Com base em evidências de investigação e prática clínica
  • Começam principalmente como diretrizes clínicas

Categorias:

  • Medidas do processo:
    • Passos que devem ser seguidos para fornecer cuidados de qualidade
    • Exemplo: reconciliação de medicamentos
  • Medidas de resultado:
    • Resultados dos cuidados de saúde, ajustados aos riscos conforme necessário
    • Exemplo: controlo da HTA
  • Perceção do doente:
    • Experiência do cuidado prestado, avaliada pelo doente ou o seu familiar/cuidador
    • Exemplo: avaliação de um profissional de saúde ou sistema de saúde por um doente
  • Estrutura organizacional e/ou sistema:
    • Mede infraestruturas como equipamentos, pessoal ou políticas
    • Exemplo: proporção enfermeira:doente

Uma QM é definida como boa se for:

  • Importante:
    • Baseada em evidências
    • Prevalente e significativa na população
    • Potencial de melhoria que afeta a saúde do doente ou da população
  • Mensurável:
    • Confiável
    • Válida
    • Específicass
    • Facilmente interpretada
  • Factível:
    • Dados prontamente disponíveis ou facilmente obtidos

Padrões

O “Benchmarking” é o processo de comparar o desempenho ou a prática clínica com um padrão predeterminado (benchmark). O processo pode ser interno ou externo (local ou nacional).

Exemplo de um benchmark interno

A prática clínica pode decidir que todos os provedores no estabelecimento devem ter como objetivo atingir níveis de colesterol de lipoproteína de baixa densidade < 100 para todos os indivíduos com diabetes que visitam o seu estabelecimento.

Exemplo de um benchmark externo

Healthcare Effectiveness Data and Information Set (HEDIS):

  • Um conjunto abrangente de medidas de desempenho padronizadas desenvolvido pelo National Committee for Quality Assurance (NCQA) como uma abordagem para comparar planos de saúde
  • O NCQA colhe dados de planos de saúde e outras organizações.
  • Inclui 90 medidas em 6 domínios:
    • Eficácia do cuidado
    • Acesso/disponibilidade de cuidados
    • Experiência de cuidados
    • Utilização e utilização ajustada ao risco
    • Informações descritivas de planos de saúde
    • Medidas relatadas por sistemas eletrónicos de dados clínicos
  • Medidas relacionadas com problemas significativos de saúde pública, como cancro, diabetes, doenças cardíacas, asma e tabagismo
  • O conjunto de medição é revisto anualmente com base nas recomendações do comité do NCQA sobre medição de desempenho.
  • Ao comparar os dados organizacionais com os dados de desempenho da HEDIS, podem ser identificadas as oportunidades de melhoria e a QI pode ser monitorizada.
  • Exemplos: rastreio de cancro de mama, controlo da pressão arterial, uso de fármacos para asma, aconselhar fumadores a parar de fumar

Qualidade em Saúde

A qualidade dos cuidados de saúde é definida pelo IOM usando 6 domínios:

  • Segurança: evitar danos aos pacientes decorrentes de cuidados que se destinam a ajudá-los
  • Eficácia: fornecer cuidados baseados em evidências que provavelmente beneficiarão os pacientes
  • Centrado no paciente: fornecer cuidados respeitosos alinhados com os valores, preferências e necessidades do paciente
  • Pontualidade: redução do tempo de espera e atrasos prejudiciais para os indivíduos que recebem ou prestam atendimento
  • Eficiência: evitar desperdícios (equipamentos, suprimentos, energia, ideias)
  • Equidade: fornecer a mesma qualidade de atendimento a todos os indivíduos, independentemente de gênero, etnia, geografia ou status social

Modelos para QI

As equipas de prática clínica abrangem a QI através de reuniões regulares para abordar a qualidade e realizar projetos de QI. Os modelos e ferramentas de QI ajudam a orientar estas iniciativas.

Modelos de QI

  • Modelo para melhoria (MFI, pela sigla em inglês):
    • Abordagem de QI mais frequentemente usada na área da saúde
    • Passos:
      • São definidas metas e objetivos.
      • São determinadas as mudanças que resultam em melhoria.
      • É decidida a medição da eficácia dessas mudanças.
      • Plan-Do-Study-Act (PDSA): A mudança é estudada em ambiente de trabalho.
    • Exemplo:
      • Objetivo: Melhorar a experiência do doente.
      • Objetivo: Diminuir o tempo de espera dos doentes.
      • Alteração: Lembrar os doentes das suas consultas com um dia de antecedência.
      • Medição: Registo de data e hora do fluxo do doente pela clínica.
      • PDSA: Planear estudar a mudança por um período de tempo definido e reavaliar.
  • Gestão da qualidade total (TQM, pela sigla em inglês):
    • Com base na premissa de que a QI e a satisfação do doente podem ser alcançadas ao ter todos os membros da equipa a trabalhar na melhoria da qualidade
    • A estrutura TQM pode ser definida por 3 Cs e 3 Ps.
    • 3 Cs:
      • Cultura
      • Comunicação
      • Compromisso
    • 4 Ps:
      • Processo
      • Pessoas
      • Planeamento
      • Performance
  • Melhoria do ciclo rápido (RCI, pela sigla em inglês):
    • Envolve testar intervenções em pequena escala em ciclos rápidos (> 3 meses)
  • Ciclo PDSA:
    • Combina TQM e RCI
    • Planear: Identificar uma meta, formular uma mudança e definir as métricas de sucesso.
    • Fazer: Implementar o plano.
    • Estudar: Monitorizar os resultados, ciclo curto, testes de pequena escala e analisar os resultados.
    • Agir: Integrar a aprendizagem gerada pelo processo ou alterar a intervenção.
  • LEAN:
    • Desenvolvido para a fabricação de automóveis Toyota
    • Melhora a qualidade reduzindo o desperdício e aumentando a eficiência
    • 5 princípios básicos:
      1. Definir valor.
      2. Estimar o fluxo de valor identificando as etapas para uma produção eficiente.
      3. Fazer o processo fluir perfeitamente, reduzindo as etapas que causam interrupção.
      4. Atrair o cliente, respondendo apenas à procura.
      5. Perseguir a perfeição através da melhoria contínua.
    • Princípios LEAN na área da saúde: O foco é eliminar os 8 desperdícios.
      1. Reduzir a espera: tempo inerte é tempo perdido.
      2. Minimizar os inventários: capital vinculado e custos de armazenamento
      3. Erradicar defeitos para melhorar a qualidade e aumentar o reembolso.
      4. Reduzir o movimento de doentes, materiais e equipamentos para melhorar o fluxo de doentes.
      5. Prevenir lesões e economizar tempo diminuindo o movimento que não adiciona valor aos doentes.
      6. Minimizar a sobreprodução e redundâncias de assistência médica.
      7. Remover o sobreprocessamento: trabalho desnecessário no tratamento de doentes, como preencher diferentes formulários com as mesmas informações
      8. Entender como os resíduos de saúde levam a um potencial humano inexplorado.
  • 6 Sigma:
    • Projetado pela primeira vez para uso na fabricação
    • Muitas vezes usado em conjunto com LEAN
    • Reduz a variabilidade e defeitos em processos e procedimentos
    • São usadas ferramentas estatísticas para identificar e corrigir as causas da variação.

Exemplos de ferramentas de QI

  • Gráficos de execução e controlo: monitorizar o desempenho e visualizar a variação.
  • Diagrama de pareto:
    • Gráfico de barras que demonstram os vários fatores que contribuem para um efeito geral
    • Os fatores contribuintes mais vitais são representados graficamente em ordem decrescente.
    • Destaca visualmente os fatores que precisam de mais atenção
  • Mapas de processamento: gráfico que descreve visualmente o fluxo de trabalho
  • Diagrama de causa e efeito (Ishikawa ou espinha de peixe): para analisar as causas que contribuem para um resultado
A plan-do-study-act cycle chart

Gráfico Plan-Do-Study-Act

Imagem por Lecturio.

Referências

  1. Institute for Healthcare Improvement. (2001). Retrieved November 13, 2021, from http://www.ihi.org/resources/Pages/Measures/default.aspx
  2. Agency for Healthcare Research and Quality. Six domains of quality measures. Retrieved November 13, 2021, from https://www.ahrq.gov/talkingquality/measures/six-domains.html
  3. Derose, S.F., Schuster, M.A., Fielding, J.E. Asch, S. M. (2002). Public Health Quality Measurement; Concepts and Challenges. Annual review of Public Health. 23, 1-21. Retrieved November 13, 2021, from https://www.annualreviews.org/doi/10.1146/annurev.publhealth.23.092601.095644
  4. U.S. Department of Health and Human Services. Consensus Statement on Quality in the Public Health System. (2008). Office of Public Health and Sciences. Office of Assistant Secretary for Health. Public Health Quality Form. Retrieved November 13, 2021, from https://www.apha.org/-/media/files/pdf/topics/qi/phqf_consensus_statement_92208.ashx
  5. WHO. Quality care. Retrieved November 15, 2021, from https://www.who.int/health-topics/quality-of-care#tab=tab_1
  6. Examples of Hospital Quality Measures for Consumers. Agency for Healthcare Research and Quality. Retrieved November 13, 2021, from https://www.ahrq.gov/talkingquality/measures/setting/hospitals/examples.html
  7. American Association of Family Physicians. Quality Measures. Retrieved November 25, 2021, from https://www.aafp.org/family-physician/practice-and-career/managing-your-practice/quality-measures.html
  8. National Quality Forum. Retrieved November 13, 2021, from https://www.qualityforum.org/Measuring_Performance/ABCs_of_Measurement.aspx
  9. An Overview of Improvement Models. Retrieved November 13, 2021, from https://www.ahrq.gov/cahps/quality-improvement/improvement-guide/4-approach-qi-process/sect4part2.html
  10. Basics for Quality Improvement. Retrieved December 8, 2021, from https://www.aafp.org/family-physician/practice-and-career/managing-your-practice/quality-improvement-basics.html
  11. Quality Improvement Essential Toolkit. Retrieved December 8, 2021, from http://www.ihi.org/resources/Pages/Tools/Quality-Improvement-Essentials-Toolkit.aspx
  12. What is Lean Healthcare. Retrieved December 8, 2021, from https://catalyst.nejm.org/doi/full/10.1056/CAT.18.0193
  13. Module 7: Measuring and Benchmarking Clinical Standards. Retrieved December 8, 2021, from https://www.ahrq.gov/ncepcr/tools/pf-handbook/mod7.html
  14. HEDIS Measures. Retrieved December 13, 2021, from https://www.ncqa.org/hedis/
  15. Busse, R., Klazinga, N., Panteli, D., Quentin, W. (2010). Improving healthcare quality in Europe. Characteristics, effectiveness and implementation of different strategies. Health Policy Series, No. 53. Copenhagen (Denmark): European Observatory on Health Systems and Policies. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK549276/

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

🍪 Lecturio is using cookies to improve your user experience. By continuing use of our service you agree upon our Data Privacy Statement.

Details