Fármacos de Substituição Tiroideia

A glândula tiroideia produz hormonas denominadas tiroxina (T4) e triiodotironina (T3), que desempenham papéis importantes em processos como o metabolismo, o crescimento de tecidos, o desenvolvimento e outras vias de regulação. Quando a tiroide de um indivíduo não produz hormonas suficientes para manter estes processos, são administradas formas sintéticas ou não sintéticas de T3 e T4. Estes fármacos incluem a levotiroxina, a liotironina e o extrato de tiroide dessecada. A dose e administração corretas destas hormonas é crucial. Uma dose excessiva pode provocar sintomas de hipertiroidismo e uma baixa dosagem pode não resolver completamente os sintomas de hipotiroidismo. É importante conhecer as diversas interações farmacológicas e alimentares que podem diminuir ou aumentar o efeito destes fármacos.

Última atualização: 17 May, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Descrição Geral

Fisiopatologia do hipotiroidismo

  • Condição médica caracterizada pelo défice de hormonas tiroideias:
    • Tiroxina (T4)
    • Triiodotironina (T3)
  • Estas hormonas desempenham um papel integral em várias funções:
    • Metabolismo
    • Crescimento e desenvolvimento
    • Função das catecolaminas
    • Regulação da síntese de hormonas hipofisárias (por feedback)
  • Clinicamente, um défice destas hormonas pode provocar alterações no(a):
    • Nível de energia
    • Peso
    • Termorregulação
    • Frequência cardíaca (FC)
    • Trânsito intestinal
    • Humor

Fármacos de substituição tiroideia

Os 3 fármacos utilizados no tratamento do hipotiroidismo são:

  • Levotiroxina (L-T4)
  • Liotironina (L-T3)
  • Extrato de tiroide dessecada

Levotiroxina

Farmacodinâmica

  • A levotiroxina é um levo-isómero sintético de T4 .
  • A pró-hormona T4 é convertida em T3 (ativa) ou T3 reversa (inativa) no fígado e noutros tecidos periféricos via deiodinação.
  • ↑ níveis T4 e T3 leva à:
    • Normalização dos efeitos hormonais nas funções metabólicas, de crescimento e desenvolvimento
    • ↓ Produção hipofisária excessiva da hormona estimulante da tiroide (TSH, pela sigla em inglês)

Farmacocinética

  • Absorção:
    • 40%‒80% absorvido no trato GI; pode ser errática
    • Alimentos podem ↓ absorção
  • Distribuição: cerca de 99% da T4 e T3 liga-se às proteínas plasmáticas (globulina de ligação à tiroxina (TBG, pela sigla em inglês)).
  • Metabolismo:
    • Deiodinação no fígado e noutros tecidos periféricos (incluindo os rins) para a forma ativa, T3 .
    • A insuficiência renal e hepática podem ↓ a conversão para T3.
  • Excreção:
    • Urina (principalmente)
    • Fezes

Indicações

  • Hipotiroidismo (primário, secundário e terciário)
    • A levotiroxina é o fármaco de escolha.
    • O objetivo é mimetizar a produção endógena normal de T4
    • Apresenta uma semi-vida mais longa do que a L-T3
    • Menor probabilidade de efeitos adversos hipermetabólicos
  • Coma mixedematoso (em combinação com L-T3)
  • Supressão de TSH em cancros da tiroide dependentes da tirotrofina (papilar e folicular)

Efeitos adversos

  • Estado hipermetabólico:
    • Pode ocorrer com:
      • Tratamento excessivo
      • Indivíduos idosos
      • Início da terapêutica
    • Sinais e sintomas:
      • Palpitações
      • Taquicardia (incluindo fibrilhação auricular)
      • Aumento da pressão de pulso
      • Transpiração
      • Perda de peso
      • Diarreia
      • Agitação e inquietação
  • Alergia ao corante ou aditivos:
    • Edema
    • Dispneia
  • Insuficiência suprarrenal não tratada: a levotiroxina pode precipitar uma crise suprarrenal aguda.

Precauções

  • Gravidez:
    • Associada a ↑ das necessidades metabólicas
    • ↑ fisiológico normal da TBG e TSH → ↑ hormonas tiroideias
    • Gravidez: as mães necessitam de ↑ da dose de L-T4.
    • Relembrar para voltar à dose pré-gestacional no período pós-parto.
  • Indivíduos idosos ou com doença cardiovascular:
    • O tratamento com hormona tiroideia apresenta efeitos inotrópicos e cronotrópicos no coração, o que pode resultar em angina.
    • Indivíduos mais velhos (> 60 anos) e aqueles com doença cardiovascular devem iniciar o tratamento com uma dose mais baixa.
    • Esta dose baixa pode ser titulada lentamente (“começar baixo, progredir lento”).
  • Indivíduos com diabetes mellitus podem necessitar de ajustar a dose dos seus fármacos antidiabéticos com a administração de L-T4.

Interações farmacológicas e alimentares

  • Alimentos que interferem com a absorção (o fármaco deve ser administrado com o estômago vazio):
    • Alimentos ricos em fibras
    • Alimentos que contêm cálcio
    • Toranja
    • Café
  • Fármacos que interferem com a absorção:
    • Carbonato de cálcio
    • Suplementos de ferro
    • Sequestradores de ácidos biliares
    • Antiácidos que contêm alumínio
  • Interações farmacológicas graves:
    • Cetamina: hipertensão e taquicardia
    • Antidepressivos tricíclicos (ATCs): ↑ efeito arritmogénico

Fármacos que podem alterar a eficácia da levotiroxina

Tabela: Fármacos que podem alterar a eficácia da levotiroxina
Mecanismo Fármacos Ajuste de levotiroxina
Fármacos que ↑ conversão hepática de T4 em T3
  • Fenobarbital
  • Fenitoína
  • Carbamazepina
  • Rifampicina
  • Sertralina
  • Imatinib
Pode ser necessário ↑ dose
Fármacos que ↑ concentração sérica de TBG
  • Estrogénio
  • Tamoxifeno
  • Raloxifeno
  • Clofibrato
  • Opióides
  • Fluorouracil
  • Capecitabina
Pode ser necessário ↑ dose
Fármacos que ↓ concentração sérica de TBG
  • Glucocorticoides
  • Androgénios
Pode ser necessário ↓ dose

Liotironina

Farmacodinâmica

  • A liotironina é a forma sintética da T3 ativa.
  • Os efeitos são mais fortes e mais rápidos do que os da L-T4.

Farmacocinética

  • Absorção:
    • Rápida
    • Boa absorção (cerca de 95%)
  • Distribuição: cerca de 99% ligação a proteínas, como a TBG
  • Excreção:
    • Urina (principalmente)
    • Fezes

Indicações

  • Hipotiroidismo
    • Normalmente não é utilizada em monoterapia pela sua semi-vida curta
    • Utilizada em indivíduos que mantêm sintomas apesar do tratamento com L-T4
  • Coma mixedematoso (em conjunto com a L-T4)
  • Bócio não tóxico

Efeitos adversos, precauções e interações farmacológicas

Os efeitos adversos, as precauções e as interações farmacológicas são semelhantes às da L-T4.

Tiróide Dessecada

Farmacodinâmica

  • Hormona tiroideia não sintética extraída da tiroide de animais domésticos (e.g., porcos, ovelhas, vacas)
  • Contém T3 e T4 numa proporção que não ocorre naturalmente nos seres humanos

Farmacocinética

  • Absorção: 40%–80%
  • Distribuição: ligação a proteínas (semelhante a L-T3 e L-T4)
  • Metabolismo: o componente T4 é convertido em T3
  • Excreção:
    • Urina (principalmente)
    • Fezes

Indicações

A tiroide dessecada é um tratamento raramente utilizado no hipotiroidismo.

  • Pode ser considerado em indivíduos que pretendem um tratamento natural
  • Não aprovado pela FDA

Efeitos adversos

  • Os efeitos adversos são semelhantes aos dos fármacos sintéticos para a tiroide
  • Problemas na produção e no controlo de qualidade são comuns devido às concentrações variáveis de hormonas.

Referências

  1. T.A. (2013). A review of the pharmacokinetics of levothyroxine for the treatment of hypothyroidism. Touch Endocrinol. https://www.touchendocrinology.com/thyroid/journal-articles/a-review-of-the-pharmacokinetics-of-levothyroxine-for-the-treatment-of-hypothyroidism/
  2. Synthroid, Levoxyl (levothyroxine) dosing, indications, interactions, adverse effects, and more. (2021). MedScape. Retrieved August 3, 2021, from https://reference.medscape.com/drug/synthroid-levoxyl-levothyroxine-342732#11
  3. DrugBank Online. (2021). Levothyroxine: uses, interactions, mechanism of action. https://go.drugbank.com/drugs/DB00451
  4. American Thyroid Association. (2020). Thyroid hormone treatment. http://www.thyroid.org/thyroid-hormone-treatment/
  5. Ross, D.S. (2021). Treatment of primary hypothyroidism in adults. UpToDate. Retrieved July 31, 2021, from https://www.uptodate.com/contents/treatment-of-primary-hypothyroidism-in-adults
  6. Dong, B.J., Greenspan, F.S. (2012). Thyroid & antithyroid drugs. In: Katzung, B.G., Masters, S.B., Trevor, A.J. (Eds.), Basic & Clinical Pharmacology, 12th ed. McGraw-Hill Lange, pp. 681–696. https://pharmacomedicale.org/images/cnpm/CNPM_2016/katzung-pharmacology.pdf

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

Details