Achieve Mastery of Medical Concepts

Study for medical school and boards with Lecturio

Epitélio de Superfície: Histologia

O epitélio é um complexo de organizações celulares especializadas dispostas em camadas que reveste cavidades e recobre as superfícies do corpo. As células apresentam polaridade, possuindo um polo apical e um polo basal. As estruturas importantes para a integridade e função epitelial incluem a membrana basal, uma membrana semipermeável sobre a qual as células repousam, as interdigitações, bem como as junções celulares. O epitélio pode ser classificado de acordo com a forma das células (pavimentoso, cúbico, colunar), o número de camadas e outras características únicas, tais como a função (epitélio de transição que permite distensão) ou a aparência (epitélio pseudoestratificado, que dá uma falsa impressão de múltiplas camadas). O epitélio de superfície tem múltiplas funções, que incluem as de proteção, secreção, filtração e receção sensitiva.

Última atualização: May 17, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Tecido Epitelial

Epitélio de superfície

Complexo de organizações celulares especializadas dispostas em folhas e que revestem cavidades e cobrem as superfícies do corpo:

  • Derivado de todas as 3 camadas germinativas:
    • Ectoderme (por exemplo, epiderme)
    • Mesoderme (por exemplo, revestimento do trato GI)
    • Endoderme (por exemplo, revestimentos das cavidades do corpo)
  • É um dos 4 principais tipos de tecidos básicos (os outros 3 incluem os tecidos nervoso, muscular e conjuntivo)

Estas células apresentam polaridade:

  • Pólo apical/luminal: ápice, voltado para a superfície/lúmen
  • Pólo basal: base, ligado ao tecido conjuntivo localizado inferiormente ao epitélio

O epitélio superficial não possui vasos sanguíneos; por isso, os nutrientes e o oxigénio são fornecidos através do tecido conjuntivo adjacente.

Funções

  • Proteção (superfície de cobertura / revestimento).
  • Secreção (libertação de hormonas, suor, muco e enzimas) como por exemplo nas glândulas.
  • Absorção (intake de substâncias como ocorre no revestimento intestinal).
  • Excreção e filtração de substâncias.
  • Receção de estímulos sensitivos como no epitélio olfativo.

Estruturas relacionadas

  • Junções intercelulares:
    • A adesão entre as células é facilitada pelas caderinas (moléculas de adesão dependentes de cálcio).
    • Na extremidade apical, diversas estruturas circundam a área (como uma faixa em redor da célula):
      • Junções apertadas ou oclusivas (zonulae occludens): mantêm as células muito próximas entre si, impedindo o fluxo passivo de substâncias entre as mesmas.
      • Junções aderentes (zonulae adherens): ajudam a estabilizar as junções e a manter as células unidas.
    • Desmossomas (macula adherens) e junções comunicantes (“gap junctions”):
      • Estruturas ligadas a filamentos intermediários intracelulares, auxiliando as junções aderentes.
      • Além disso, as junções comunicantes permitem o fluxo de moléculas.
    • Hemidesmossomas: ancoram as células epiteliais à lâmina basal (da membrana basal)
  • Interdigitações: dobras de membrana celular que aumentam a área de superfície (por exemplo, para transporte de iões ou água)
  • Membrana basal:
    • Membrana fina semipermeável sobre a qual repousa a superfície basal do epitélio.
    • A laminina e a integrina permitem a fixação das células.
    • Componentes:
      • Lâmina basal: camada fina, em folha, de fibrilas finas, localizada logo abaixo das células epiteliais
      • Lâmina reticular: mais espessa e mais fibrosa
    • Função:
      • Fixação aos tecidos subjacentes
      • Separação dos tecidos
      • Filtração
      • Estrutura que orienta o processo de reparação
      • Sinalização celular
Características do epitélio

Os epitélios têm um ápice, margens laterais e uma superfície inferior que repousa sobre uma membrana basal:
Como pode ser observado na imagem, estas células apresentam polaridade (têm regiões apicais e regiões basais/basolaterais). Na extremidade apical, diversas estruturas circundam a área (como uma faixa em redor da célula) facilitando a adesão célula a célula (junções apertadas e junções aderentes). Junto à membrana basal, os hemidesmossomas ancoram o epitélio à lâmina basal. À direita encontra-se a histologia do revestimento epitelial intestinal com estruturas correspondentes. Na extremidade apical podem ser observadas microvilosidades.

Imagem de Lecturio.

Classificação

Consoante o número de camadas

  • Epitélio simples:
    • Consiste numa camada única
    • Encontrado tipicamente nos locais de absorção, secreção e filtração
  • Epitélio estratificado:
    • Composto por ≥ 2 camadas
    • Encontrado nas áreas de elevada abrasão (pele e revestimento da boca)
    • O nome das células do epitélio estratificado baseia-se na forma das células da camada apical
  • Epitélio pseudoestratificado:
    • Todas as células estão ligadas à membrana basal, mas nem todas as células se estendem até à superfície livre.
    • Os núcleos, por estarem em diferentes níveis, conferem ao epitélio uma aparência estratificada.

Consoante a forma das células

  • Células escamosas / pavimentosas: células finas ou achatadas
  • Células cuboides: a largura e a espessura das células são geralmente semelhantes (em forma de cubo)
  • Células colunares: as células são mais altas do que largas (em forma de coluna).
  • De transição: a forma das células “passa por uma transição”:
    • Quando o órgão (por exemplo, a bexiga) está relaxado, as células parecem cuboides.
    • Quando o órgão é distendido, as células achatam (aspeto pavimentoso).

Consoante a função

De realçar que existem tecidos que apresentam 1 funções:

  • Epitélio de revestimento: reveste as cavidades ou órgãos
  • Epitélio glandular: secretor
Tipos de epitélio

Os tipos de epitélios:
A diferenciação e classificação dos epitélios baseia-se na forma da célula e no número de camadas. O epitélio simples apresenta 1 camada de células. O epitélio estratificado consiste em múltiplas camadas. O epitélio pseudoestratificado dá uma falsa impressão de apresentar > 1 camada devido à localização dos núcleos em diferentes níveis. O epitélio de transição é um tipo de epitélio no qual a forma das células muda consoante a função do órgão (distensão versus relaxamento, como ocorre na bexiga).

Imagem: “Types of epithelium” do U.S. National Cancer Institute’s Surveillance. Licença: Domínio Público, editada por Lecturio.

Epitélio Simples

Epitélio pavimentoso simples

  • Características:
    • Camada única de células achatadas
    • Núcleos em forma de disco (estrutura mais proeminente)
    • Citoplasma escasso
  • Tipicamente encontrado no revestimento dos vasos, regulando a passagem de substâncias para o(s) tecido(s)
  • Localizado em:
    • Sacos alveolares/alvéolos pulmonares
    • Revestimento do coração (endocárdio)
    • Vasos sanguíneos e vasos linfáticos
    • Ansas renais de Henle
    • Córnea
  • Nomenclatura especial:
    • Endotélio: epitélio pavimentoso simples que reveste os vasos sanguíneos e os vasos linfáticos
    • Mesotélio: epitélio pavimentoso simples encontrado nas grandes cavidades do corpo (secreta um fluido seroso)
Epitélio escamoso simples

Estrutura do epitélio pavimentoso simples (camada única de células achatadas)

Imagem: “Simple squamous epithelium” de Phil Schatz. Licença: CC BY 4.0
Tecidos epiteliais epitélio escamoso simples

Montagem completa de epitélio pavimentoso simples

Imagem: “Epithelial Tissues Simple Squamous Epithelium” de Berkshire Community College Bioscience Image Library. Licença: CC0 1.0

Epitélio cúbico simples

  • Camada única de células semelhantes a cubos
  • A forma cúbica permite o aumento do número de mitocôndrias e de outros organelos necessárias para diversas funções como o transporte ativo, a secreção e a absorção.
  • Encontrado em:
    • Ductos e porções secretoras das glândulas
    • Túbulos renais
Epitélio cúbico simples

Epitélio cúbico simples: 1 camada de células cúbicas

Imagem: “Simple cuboidal epithelium” de Phil Schatz. Licença: CC BY 4.0
Epitélio cúbico simples

Corte transversal de um túbulo renal mostrando uma camada única de células cuboides

Imagem: “Epithelial Tissues Simple Cuboidal Epithelium” do Berkshire Community College Bioscience Image Library. Licença: CC0 1.0

Epitélio colunar simples

  • Camada única de células altas
  • Frequentemente apresentam cílios ou microvilosidades
  • Envolvido principalmente na absorção e secreção
  • Encontrado no:
    • Epitélio ciliado dos brônquios, trompas de Falópio e útero
    • Epitélio liso (não ciliado) do trato digestivo
    • Revestimento da vesícula biliar
Epitélio colunar simples

Epitélio colunar simples:
É apresentada uma camada de células colunares ciliadas

Imagem: “Simple columnar epithelium” de Phil Schatz. Licença: CC BY 4.0
Epitélio colunar simples

Epitélio colunar simples que reveste o trato intestinal

Imagem: “Epithelial Tissues Simple Columnar Epithelium” de Epithelial Tissues: Simple Columnar Epithelium. Licença: CC0 1.0

Epitélio Pseudoestratificado, Estratificado e de Transição

Epitélio colunar pseudoestratificado

  • Características:
    • As células variam em altura, sendo que todas repousam sobre a membrana basal, mas apenas algumas atingem a superfície apical.
    • Os núcleos encontram-se em diferentes alturas.
    • Alguns epitélios são ciliados.
  • Funções de secreção e absorção.
  • Encontrado em:
    • Epitélio ciliado da traqueia
    • Parte do trato digestivo superior
Epitélio pseudoestratificado

Epitélio pseudoestratificado:
Apresenta-se uma camada única de células colunares, com os núcleos em diferentes níveis.

Imagem: “Epitélio pseudoestratificado” de Phil Schatz. Licença: CC BY 4.0
Corte transversal do epitélio colunar pseudoestratificado

Epitélio colunar pseudoestratificado encontrado na traqueia

Imagem: “Cross-section of pseudostratified columnar epithelium” do OpenStax College. Licença: CC BY 3.0

Epitélio pavimentoso estratificado

  • O mais difundido dos epitélios estratificados
  • Composto por várias camadas, proporcionando uma função protetora.
  • As células da superfície livre são pavimentosas.
  • As células das camadas mais profundas são cuboides ou colunares.
  • Encontrado em áreas sujeitas a desgaste.
  • Encontrado no/a:
    • Pele, que é queratinizada ou preenchida com queratina:
      • Estas células irão perder os seus organelos e núcleos à medida que se achatam e que acumulam queratina.
      • As células movem-se em direção à superfície, tornando-se metabolicamente inativas e são eliminadas.
    • Esófago, boca e vagina, que possuem células não queratinizadas (retêm os núcleos)
Epitélio escamoso estratificado

Ilustração do epitélio pavimentoso estratificado (múltiplas camadas)

Imagem: “Stratified squamous epithelium” de Phil Schatz. Licença: CC BY 4.0
Tecidos epiteliais epitélio escamoso estratificado

Imagem histológica do epitélio pavimentoso estratificado

Imagem: “Epithelial Tissues Stratified Squamous Epithelium” do Berkshire Community College Bioscience Image Library. Licença: CC0 1.0

Epitélio colunar estratificado e epitélio cúbico estratificado

  • São ambos raros e com distribuição limitada.
  • Epitélio colunar estratificado:
    • Função secretora e protetora
    • Encontrado na/em:
      • Uretra masculina
      • Alguns ductos glandulares
  • O epitélio cúbico estratificado pode ser encontrado em ductos de grandes glândulas (p. ex., glândulas sudoríparas e glândulas mamárias).
Glândula parótida

É visível epitélio cúbico estratificado (à esquerda) num ducto circundado por tecido conjuntivo na glândula parótida.

Imagem: “WVSOM Parotid Gland1” de Wbensmith. Licença: CC BY 3.0

Epitélio de transição

  • Características:
    • Camada superficial das células guarda-chuva (em forma de cúpula)
    • Permite o estiramento dos órgãos à medida que se distendem
    • Urotélio: epitélio de transição no trato urinário
  • Encontrado na/os:
    • Bexiga
    • Uretra
    • Ureteres
Epitélio transicional

Epitélio de transição

Imagem: “Transitional epithelium” de Phil Schatz. Licença: CC BY 4.0
Epitélio transicional

Epitélio de transição encontrado na bexiga

Imagem: “urinary bladder, urothelium, haemalum-eosin stain” de Polarlys. Licença: CC BY 2.5

Relevância Clínica

  • Ictiose: doença dermatológica na qual ocorre uma queratinização anormal. A ictiose é causada por uma mutação autossómica dominante no gene da filagrina, que resulta em disfunção da barreira cutânea. A apresentação clínica inclui pele áspera, seca e descamativa, com agravamento dos sintomas durante os meses frios e secos. O diagnóstico é geralmente clínico, muitas vezes auxiliado por uma biópsia de pele que mostra hiperqueratose e um estrato granuloso diminuído.
  • Carcinoma de células de transição: neoplasia maligna da bexiga. O carcinoma de células de transição é o cancro mais comum do sistema urinário. O tipo histológico predominante é o carcinoma urotelial (células de transição) nos Estados Unidos e na Europa. Os fatores de risco incluem a genética, o tabagismo, o consumo de ópio e a exposição ocupacional a agentes cancerígenos. Manifesta-se geralmente por hematúria indolor, e a abordagem diagnóstica inclui uma cistoscopia, uma citologia de urina e biópsias. A resseção transuretral do tumor, a cistectomia radical e a quimioterapia estão entre as opções de tratamento, que dependem do estadio tumoral.
  • Esófago de Barrett: substituição do epitélio pavimentoso estratificado esofágico por epitélio colunar gástrico causada por DRGE crónica. O esófago de Barrett associa-se a um risco aumentado de adenocarcinoma de esófago. A endoscopia digestiva alta mostra um deslocamento proximal da junção escamocolunar (linha Z) da junção gastroesofágica (JGE). As biópsias revelam um epitélio colunar e a presença de células caliciformes no esófago distal. O tratamento faz-se com inibidores da bomba de protões e modificações do estilo de vida.
  • Cancro do colo do útero: cancro muito comum que afeta as mulheres. A maioria dos casos de cancro do colo do útero deve-se ao HPV. A região do colo do útero em redor do orifício externo é revestida por epitélio pavimentoso estratificado não queratinizado contínuo com o da vagina. Esta área junta-se ao epitélio colunar secretor de muco do endocérvix na zona de transformação. A exposição da zona de transformação ao HPV pode levar à diferenciação do epitélio pavimentoso em lesão intraepitelial pavimentosa (levando ao carcinoma de células escamosas). O epitélio colunar endocervical pode evoluir e originar lesões intraepiteliais glandulares (que podem evoluir para adenocarcinoma).

Referências

  1. Kierszenbaum, A., Tres, L. (2019). Histology and Cell Biology: An Introduction to Pathology, 5th ed. Elsevier.
  2. Mescher A.L.(Ed.). (2021). Epithelial tissue. Chapter 4 of Junqueira’s Basic Histology Text and Atlas, 16th ed. McGraw-Hill. https://accessmedicine.mhmedical.com/content.aspx?bookid=3047&sectionid=255120320
  3. Mescher A.L.(Ed.), (2021). The female reproductive system. Chapter 22 of Junqueira’s Basic Histology Text and Atlas, 16th ed. McGraw-Hill. https://accessmedicine.mhmedical.com/content.aspx?bookid=3047&sectionid=255122848

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

Details