Achieve Mastery of Medical Concepts

Study for medical school and boards with Lecturio

Desenvolvimento do Coração

O desenvolvimento do sistema cardiovascular embrionário começa durante a 3ª semana de gestação. O processo começa com um tubo reto, que acabará por se diferenciar e formar um coração funcional após vários eventos. Distúrbios em qualquer dos eventos do desenvolvimento do coração, como o looping cardíaco, podem resultar em distúrbios congénitos graves. A principal apresentação clínica destas anomalias será a cianose.

Última atualização: 3 May, 2022

Responsibilidade editorial: Stanley Oiseth, Lindsay Jones, Evelin Maza

Derivados do Tubo Cardíaco

  • Primeiras 3 semanas: o coração primitivo desenvolve-se como um tubo recto
    • Tronco arterioso → aorta ascendente e tronco pulmonar
    • Bulbus cordis
      • Terço proximal do bulbus cordis → músculo do ventrículo direito
      • Conus cordis → partes lisas dos tratos de saída do ventrículo direito e esquerdo
    • Revestimento endocárdico → septo auricular, septo interventricular membranoso, válvulas atrioventriculares (AV) e válvulas semilunares
      • Derivado das células da crista neural
      • Defeitos do revestimento endocárdico: comuns na síndrome de Down
    • Veias posteriores, subcardinais, supracardinais → veia cava inferior (VCI)
    • Aurícula primitiva → partes trabeculadas da aurícula esquerda e direita
    • Veia pulmonar primitiva → parte lisa da auricula esquerda
    • Ventrículo primitivo → partes trabeculadas do ventrículo esquerdo e direito
    • Veia cardinal comum direita (RCCV, pela sigla em inglês) e veia cardinal anterior direita (RACV, pela sigla em inglês) → veia cava superior (VCS)
    • Corno esquerdo do seio venoso → seio coronário
    • Corno direito do seio venoso → parte posterior da aurícula direita (sinus venarum) com uma superfície relativamente lisa
  • As porções lisas são encontradas nas áreas onde o coração se conecta com os vasos (e.g., abaixo da válvula pulmonar).
  • Veias cardinais:
    • Formam a veias cava superior e inferior (que se conectam à aurícula direita (AD))
    • RCCV + RACV = VCS
    • Veia posterior + veia subcardinal + veia supracardinal = VCI
Desenvolvimento inicial do diagrama do coração

O coração inicial é dividido em cinco regiões, cada uma das quais dá origem a diferentes estruturas.

Imagem por Lecturio.

Loop Cardíaco

  • Começa na 4ª semana: o objetivo é estabelecer a polaridade esquerda-direita
  • A extremidade craniana curva-se ventral e caudalmente.
  • Em seguida, gira para a direita (24 dias)
  • A extremidade auricular desloca-se dorso-cranialmente (posterior e cranialmente) e move-se para a esquerda (35 dias).
  • Requer o envolvimento de cílios e da dineína
  • Defeito na função da dineína → dextrocardia (coração do lado direito, encontrado na síndrome de Kartagener (discinésia ciliar primária))
Desenvolvimento embrionário do coração

Durante o looping, a extremidade cranial dobra ventral e caudalmente e depois gira para a direita (24 dias). A extremidade auricular desloca-se, então, dorso-cranialmente (posterior e cranialmente) e move-se para a esquerda (35 dias).

Imagem por Lecturio.

Septação Cardíaca

Septo auricular

O septo auricular começa como almofadas endocárdicas na base da cavidade auricular e do septo primum.

  • Septo primum
    • Cresce em direção às almofadas endocárdicas
    • O buraco (ostium) primum estreita-se → substituído pelo buraco (ostium) secundum (que se forma no septum primum à medida que o ostium primum regride)
    • O sangue oxigenado entra na AD pela VCI → passa para a aurícula esquerda (AE) (através do buraco secundum) → passa para o ventrículo em desenvolvimento
    • O sangue mal oxigenado da VCS será direcionado para o bulbus cordis (VD).
    • Fisiologia pré-natal e pós-natal
  • Septum secundum
    • Desenvolve-se no lado direito do septum primum
    • O buraco (ostium) secundum mantém o shunt da direita para a esquerda.
    • Expande e cobre a maior parte do buraco (ostium) secundum → a abertura residual denomina-se buraco oval
    • A AD fica maior → puxa o seio venoso para dentro da sua parede → aproxima a VCS e VCI → forma-se uma abertura
  • Buraco oval
    • Abertura entre o septum primum e o septum secundum (shunt entre a auricula direita e esquerda)
    • O sangue continua a fluir da direita para a esquerda, devido à pressão ↑↑ na AD
    • Após o nascimento: ↑↑ pressão na AE e diminuição da pressão na AD → o septo primário é empurrado contra septo secundário → oclusão do buraco oval
      • Geralmente encerrado durante a infância/primeira infância, mas em 70% 75% da população permanece aberto como um pequeno defeito (buraco oval patente).

Septo ventricular

  • Forma-se o septo muscular interventricular (crescendo da base do ventrículo em direção às almofadas endocárdicas).
  • O septo aorticopulmonar gira e funde-se com o septo ventricular muscular para formar o septo interventricular membranoso (encerrando o buraco interventricular).
  • O crescimento das almofadas endocárdicas separa as aurículas dos ventrículos → contribui para a septação auricular e a porção membranosa do septo interventricular.
  • Defeito → defeito do septo ventricular membranoso/muscular (CIV)
    • Defeito cardíaco congénito mais comum
    • Geralmente ocorre como um defeito na porção membranosa do septo interventricular

Septo aorticopulmonar

  • Septo espiral que divide a aorta da artéria pulmonar → forma o trato de saída
  • As células da crista neural migram para as cristas tronculares e bulbares que espiralam e fundem-se para formar o septo aórtico-pulmonar → formando a aorta ascendente e o tronco pulmonar
  • Também se funde com a porção muscular do septo ventricular → forma o septo interventricular membranoso
  • Defeito (devido à falha na migração das células da crista neural):
    • Transposição de grandes vasos (TGV)
    • Tetralogia de Fallot
    • Persistência do tronco arterioso

Desenvolvimento valvular

  • Válvulas semilunares (aórticas/pulmonares): derivadas das almofadas endocárdicas do trato de saída
  • Válvulas AV (mitrais/tricúspides): derivadas das almofadas endocárdicas que se fundem no canal AV
  • Defeitos resultam em válvulas estenóticas, regurgitantes, atrésicas (e.g., atrésia tricúspide) ou deslocadas (e.g., anomalia de Ebstein)

Circulação Fetal

  • A placenta transporta sangue pela veia umbilical (saturações de oxigénio de 80% e PO2 de, aproximadamente, 30 mmHg)
    • As artérias umbilicais têm baixa saturação de oxigénio
  • Ducto venoso:
    • Permite que o sangue faça um bypass ao fígado
    • Transporta o sangue da veia umbilical para a VCI
    • O sangue encontra-se ligeiramente desoxigenado devido à mistura que sofre
  • Percurso do sangue oxigenado a partir da VCI para a placenta:
    • O sangue atinge o septo auricular → empurra a válvula do buraco oval (2/3 para a AE, 1/3 para os pulmões) → AE → VE → aorta → artérias ilíacas comuns → artérias umbilicais → placenta
    • Mnemónica: Lembrar o O de sangue Oxigenado, bem como de Oval.
  • Percurso do sangue desoxigenado a partir da VCS:
    • VCS → AD → VD → tronco pulmonar → canal arterial → aorta descendente → artérias ilíacas comuns → artérias umbilicais → placenta
    • Este shunt está presente devido à alta resistência arterial pulmonar fetal (em parte devido à baixa pressão de oxigénio).
    • Mnemónico: Lembrar do D de sangue Desoxigenado, bem como de Ducto arterioso (canal arterial) e de aorta Descendente.
  • Transição da circulação fetal para a circulação adulta:
    • Ao nascimento, o lactente respira pela primeira vez → diminuição da resistência na vasculatura pulmonar → aumento da pressão auricular esquerda em relação à pressão auricular direita, levando à oclusão do buraco oval (torna-se a fossa oval)
    • O ↑ em oxigénio (pela respiração) e a ↓ das prostaglandinas (pela separação da placenta) → oclusão do canal arterial
  • Derivados fetais pós-natais:
    • Veia umbilical → ligamentum teres hepatis (ligamento redondo – contido no ligamento falciforme)
    • Artérias umbilicais → ligamentos umbilicais mediais
    • Ducto venoso → ligamento venoso
    • Ductus arteriosus → ligamento arterioso (perto do nervo laríngeo recorrente esquerdo)
    • Buraco oval → Fossa oval

Mnemónicas

  1. Indomethacin helps close the patent ductus arteriosus → ligamentum arteriosum (remnant of ductus arteriosus) → remember: “Come In and close the Door!” (A indometacina ajuda a encerrar o canal arterial patente → ligamento arterioso (remanescente do canal arterial) → lembrar: ” Entre e feche a porta !”)
  2. “Prostaglandins E1 and E2 kEEp PDA open!” (As prostaglandinas E 1 e E 2 mantêm o ducto arterioso patente aberto!”

Anomalias Congénitas

Shunts da direita para a esquerda (lesões cianóticas)

  • Tronco arterioso: Um único vaso grande surge de ambos os ventrículos devido à falência na formação do septo aorticopulmonar, que divide a cavidade do tronco pulmonar e da aorta. Geralmente, é acompanhado por um defeito do septo ventricular. Há risco de hipertensão pulmonar irreversível.
  • TGV: Falência do septo aorticopulmonar em espiralizar. A artéria pulmonar tem origem no VE (posterior), enquanto que a aorta tem origem no VD (anterior). Incompatível com a vida sem a presença de um shunt. Em 65% dos casos, a TGV é acompanhada por persistência do canal arterial ou por buraco oval patente. Em 35% dos casos, é acompanhada por um defeito do septo ventricular. Radiologicamente, terá uma aparência em “egg on string” na radiografia de tórax devido à presença de um mediastino estreito associado a um contorno globular do coração. É necessária intervenção cirúrgica, caso contrário, a maioria dos bebés morre nos primeiros meses de vida.
  • Atrésia tricúspide: A válvula tricúspide está ausente, o que impede o desenvolvimento do ventrículo direito, levando a um ventrículo direito hipoplásico. Para que exista viabilidade, requer um defeito do septo auricular (CIA) e CIV. O sangue fluirá da AD para a AE através do defeito do septo auricular ou do buraco oval patente. Para chegar aos pulmões, o sangue fluirá da AD para a AE através do buraco oval patente e depois do VE para o VD através do defeito do septo ventricular.
  • Tetralogia de Fallot: Causa mais comum de cianose na primeira infância. Acompanhada de estenose pulmonar, hipertrofia ventricular direita, sobreposição de aorta e comunicação interventricular.
  • Retorno venoso pulmonar anómalo total (TAPVR, pela sigla em inglês): Todas as veias pulmonares drenam para a circulação cardíaca direita (VCS, seio coronário, etc.). O defeito é semelhante ao shunt da AE para a AD. A AD e o VD fazem com que o sangue oxigenado se misture com o sangue desoxigenado e se espalhe, posteriormente, por todo o corpo. Associado a um defeito do septo auricular e às vezes um ducto arterioro patente para permitir o shunt da direita para a esquerda e, assim, manter o débito cardíaco.

Mnemónica: shunts da direita para a esquerda (lesões cianóticas) (os 5 Ts):

  • Truncus arteriosus: 1 vaso
  • Transposição dos grandes vasos: 2 vasos trocados
  • Atresia Tricúspide: 3 = tri
  • Tetralogia de Fallot : 4 = tetra
  • Retorno venoso pulmonar anómalo total (TAPVR): 5 letras no nome

Shunts da esquerda para a direita (acianóticos)

  • CIV: Anomalia congénita mais comum, associada à síndrome alcoólica fetal. O defeito causa comunicação entre o VE e o VD. A apresentação clínica é um sopro holossistólico rude, audível com mais clareza na área tricúspide.
  • CIA: Comunicação entre a AE e a AD, que pode causar hipertensão pulmonar. Clinicamente caracterizado por uma ampla divisão de S2. Existem 4 tipos de CIA: primum, secundum, seio venoso e seio coronário, sendo o mais comum o CIA do tipo secundum.
  • Persistência do canal arterial (PCA): Normalmente, o canal arterial desvia o sangue da artéria pulmonar esquerda para a aorta. Este desvio deve encerrar após o nascimento, devido à diminuição dos níveis de prostaglandina E2. A apresentação clínica da PCA cursa com um sopro contínuo, de som mecânico na auscultação, dedos dos pés cianóticos e dedos das mãos normais e uma pressão de pulso alargada.

Outras anomalias congénitas

  • Coartação da aorta : A aorta estreita-se na área em redor do canal arterial até um certo ponto e depois alarga até ao seu diâmetro normal. A coartação pós-ductal (que ocorre após o canal arterial) é clinicamente silenciosa e está presente apenas em adultos. A coartação pré-ductal (que ocorre antes do ducto arterioso) é um tipo infantil, na qual a apresentação clínica envolve cianose nos dedos dos pés.
  • Buraco oval patente (PFO, pela sigla em inglês): Presente em 25% dos adultos. Falência na fusão do septum primum com o septum secundum após o aumento da pressão auricular esquerda. Clinicamente, detetado com o teste de bolhas aquando da avaliação de síncopes e acidentes vasculares cerebrais.
  • Síndrome do coração esquerdo hipoplásico: estenose ou atrésia de alto grau da válvula aórtica e/ou mitral, além de hipoplasia grave do ventrículo esquerdo, aorta ascendente e arco aórtico.
  • Anomalia de Ebstein: Defeito da válvula tricúspide, que se desloca em direção ao ventrículo direito. O folheto septal amarrado causa regurgitação tricúspide, que resultará em insuficiência cardíaca do lado direito.
  • Duplo arco aórtico: malformação vascular embrionária que resulta num duplo arco aórtico. Isto pode levar à constrição subsequente da traqueia e do esófago.
  • Defeito das almofadas endocárdicas: Defeito das válvulas auriculoventriculares, bem como do septo auricular e/ou do septo ventricular. Pode apresentar-se com a forma completa (CIA, CIV e anomalias graves nas válvulas AV, levando a uma mistura grave de sangue) ou a forma parcial (apenas CIA e anomalias menores nas válvulas AV). Frequentemente observado em doentes com síndrome de Down.

USMLE™ is a joint program of the Federation of State Medical Boards (FSMB®) and National Board of Medical Examiners (NBME®). MCAT is a registered trademark of the Association of American Medical Colleges (AAMC). NCLEX®, NCLEX-RN®, and NCLEX-PN® are registered trademarks of the National Council of State Boards of Nursing, Inc (NCSBN®). None of the trademark holders are endorsed by nor affiliated with Lecturio.

Estuda onde quiseres

A Lecturio Medical complementa o teu estudo através de métodos de ensino baseados em evidência, vídeos de palestras, perguntas e muito mais – tudo combinado num só lugar e fácil de usar.

Aprende mais com a Lecturio:

Complementa o teu estudo da faculdade com o companheiro de estudo tudo-em-um da Lecturio, através de métodos de ensino baseados em evidência.

User Reviews

¡Hola!

Esta página está disponible en Español.

🍪 Lecturio is using cookies to improve your user experience. By continuing use of our service you agree upon our Data Privacy Statement.

Details